Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

O ciclo da vida

Angola /
03 Jan 2022 / 11:41 H.
André Samuel

Um ano de desafios se encerra e um novo se aproxima. Assim é o ciclo da vida, a cada 365 dias se renova a esperança de uma oportunidade mais auspiciosa, para trás ficam os momentos recheados de lições, seja pelos sucessos ou não, que nos enriquecem a experiência. Todos somos aprendizes, nesta jornada denominada vida. Somos discípulos do mestre tempo.

Os imprevistos sobrevêm a todos, essa é uma das grandes lições que podemos retirar dos últimos anos, principalmente com o eclodir da pandemia da COVID-19 e dos inconvenientes variantes. A grande diferença está na forma como cada País, empresa, família ou indivíduo um reage as situações.

Para muitos o ano de 2021 foi um ano de forte aprendizado e recuperação, de pôr em prática a resiliência e crescer em meio a um cenário adverso. Angola acompanhou a tendência de muitos países na rota do crescimento, quebrando o jejum com um crescimento do Produto Interno Bruto no segundo trimestre na ordem dos 1,2%.

Um ano em que também registou superavits fiscais e do ponto de vista de criação de leis e programas que concorrem para o desenvolvimento do País, também foram dados passos importantes. Do ponto de vista pratico, muito recentemente se fez história com a primeira privatização em bolsa na modalidade de leilão. E a fechar o ano, as reservas alimentares deram o ar da sua graça.

Os gestores e empresários estão menos pessimistas, pelo menos nos dados do Instituto Nacional de Estatísticas.

Mas para outros tantos, tudo isso representa uma mão cheia de nada pois não reflecte ainda no bolso, ou melhor, no estômago dos cidadãos. Os indicadores como inflação e desemprego pressionam o índice de miséria do País para níveis desanimadores.

A diversificação da economia e os novos investimentos caminham passos de lesmas e não mudam o quadro das famílias, que se veem negadas do seu papel nesta cadeia económica enquanto consumidores por falta do poder activo de compra.

Em suma, é caso para dizer que a verdade é “relativa”, cada um vê segundo a posição em que se encontra. Mas os perspicazes compreendem que Angola é um país em construção e esse processo exige que se cumpram etapas.

Etapas para errar e aprender com os erros, etapas para plantar e esperar o tempo da colheita, etapas para repreender e etapas para prender.

Que 2022 traga mais perspicácia.