Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Cinco influências para a volatilidade do preço do petróleo

China /
17 Mar 2020 / 10:53 H.
Isaac António

O preço do Petróleo é geralmente referenciado ao valor na qual o crude é transacionado. Uma referência para compradores e ofertantes tais como WTI (West Texas Instrument), Brent, Dubai Crude, OPEC Basket, Bonny Light entre outros. Há um diferencial no preço do barril baseado nas suas graduações, determinado por factores, como, a gravidade específica, composição sulfúrica, localização, etc. Como sabe, enquanto commodity, o crude tende a sofrer maiores flutuações no preço, se comparado com alguns investimentos mais estáveis, tais como as açcões e títulos de dívida. Existem, entretanto, muitas influências na variação do preço do petróleo, descreveremos abaixo cinco das mais notáveis:

1. Influencia da OPEP no preço do crude

A OPEP (Organização de Países Exportadores e Produtores de Petróleo), é até agora o maior influenciador das flutuações do preço do Petróleo. A OPEP é um consórcio composto por 14 países: Argélia, Angola, Equador, Guiné Equatorial, Gabão, Irão, Iraque, Kuwait, Líbia, Nigéria, Catar, Emiratos Árabe Unidos, Venezuela e Arábia Saudita (este último o detentor da maior reserva e produção do cartel) controlam 40% da oferta mundial de Petróleo. O Consórcio estipula os níveis como meta para alcance da demanda global e pode influenciar o preço do petróleo e gás jogando no aumento ou redução da produção.

2. Oferta, procura e contractos futuros

Como qualquer commodity, acções ou títulos, as leis da oferta e procura causam mudanças no preço do petróleo. Quando há excesso de oferta, o preço do crude cai e o inverso é notado quando a procura excede a oferta. A queda em 2014 do preço do petróleo deveu-se também a redução da procura nos mercados Europeu e Chines, acompanhado por uma produção quase linear da OPEP. Desde então, os preços tiveram uma média de 67USD por barril até Abril de 2018. Enquanto a oferta e a procura afectam o preço do petróleo, os mercados futuros é que acabam determinando o preço. Os contratos futuros para o petróleo servem como leilão oficial que dá ao demandante o direito de comprar o barril de petróleo num preço pré-estipulado no futuro. Como acordado no contrato, os dois intervenientes (comprador e o ofertante) devem completar as transacções nas datas especificadas no contrato.

3. Custo de produção e armazenamento

Os custos de produção podem causar subidas ou decidas do preço do petróleo. Enquanto o petróleo no Médio Oriente é relativamente menos oneroso para ser extraído, a exploração no Canadá em Alberta, por exemplo é dispendiosa. Uma vez exaustada a oferta do petróleo em fontes menos onerosas, o preço do petróleo pode sofrer subidas se a única fonte remanescida for de areias betuminosas. Tem havido preocupações correntes relacionadas a escassez de armazenamentos que tem vindo a impactar os níveis de investimentos na indústria. O crude alocado para armazenamento tem crescido exponencialmente, no entanto a produção pautada e as constantes correntes intervenções de melhoramento nos dutos de transportação vêm reduzindo à chance os limites de armazenamento o que faz com que muitos investidores contêm – se para evitar qualquer subida brusca no preço do petróleo.

4. Taxas de Juros

Enquanto as opiniões forem confusas, na realidade o preço do petróleo e as taxas de juros têm uma correlação entre os respectivos movimentos. No entanto, não uma correlação exclusiva ou absoluta. Na realidade, são muitos factores que afectam a direcção das taxas de juros e o preço do petróleo. Uma das teorias básicas estipula que, quando se incrementa as taxas de juros, os custos dos consumidores, e industriais também aumentam, o que reduz o tempo em termos monetários das pessoas, o que se nota é a redução de usuários em seus próprios veículos e aeronaves, por exemplo, traduzindo numa redução da procura pelo petróleo, o que pode traduzir a redução do preço. Esta mesma teoria mostra que, quando as taxas de juros descem, os consumidores e investidores são ávidos a emprestar mais e a investir com maior liberdade, o que também pode acrescer o preço do petróleo. De salientar que há teorias económicas que defendem que o aumento das taxas de juros ajuda a valorizar o USD em relação às outras moedas: ou seja, quando o dólar norte-americano está altamente valorizado, as empresas americanas do sector podem comprar mais crude, o oposto também é notório, quando a desvalorização, para uma economia que consome quase 25% da produção mundial.

5. Desastres naturais, pandemias e geopolítica

Desastres naturais, correspondem também um dos outros factores que contribuem para a flutuação do preço de petróleo. Temos exemplos do impacto do furacão Katrina ao Sul dos estados Unidos da América (EUA) em 2005 que afectou 19% da oferta de crude no mercado americano, em que o preço do barril no período subiu 3 USD.

Numa perspectiva global, as instabilidades políticas causam grandes flutuações no preço do petróleo. Sabe-se que a maior parte dos países com grandes reservas situam-se no Médio Oriente e que as instabilidades políticas naquela zona também podem afectar a estabilidade do preço do petróleo.

Com o aumento da produção de petróleo declarada pela Arábia Saudita, o maior produtor dos países da OPEP, face a uma negociação menos sucedida com a Rússia, cuja intenção era a co-participação nos cortes ( aproximadamente em 1,5 milhões de barris por dia) de produção prior mente programados pela OPEP, mais o facto de cortar os preços aos seus clientes, acabou por alguma maneira afectar os mercados internacionais pondo os preços em baixa.

Um novo factor que catalisou a grande queda no preço do petróleo é o novo Corona Vírus ou COVID19, pois a grande redução na demanda do mercado asiático particularmente na China onde os níveis stock superaram a procura. Pois, sendo a China um dos maiores consumidores do crude no actual contexto mundial, qualquer recessão económica neste sector é bastante evidente, as fábricas chinesas ficaram paralisadas por longo período.