Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Venezuela: Petrolífera estatal ordenada a vender 4,5 milhões de barris em criptomoeda

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, ordenou à petrolífera estatal venezuelana (PDVSA) que venda 4,5 milhões de barris de petróleo da sua reserva física na criptomoeda do país (moeda virtual), designada petro.

15 Jan 2020 / 14:52 H.

“Decreto a venda de 4,5 milhões de barris de petróleo em petro, proveniente da reserva certificada física de 430 milhões de barris actualmente mantida pela PDVSA”, afirmou Nicolás Maduro, citado pela agência EFE, no seu discurso de balanço anual proferido perante a Assembleia Nacional Constituinte, composta apenas por ‘chavistas’ (apoiantes de Hugo Chavez).

Além disso, Maduro disse que “após a conclusão da venda destes 4,5 milhões de barris”, deve iniciar-se “a oferta regular em petro de 50 mil barris diários como mecanismo de exploração”.

Tudo isto, “até se atingir a meta de vender toda a produção petrolífera em petro”, adiantou o Presidente venezuelano.

Desta forma, serão estabelecidos, consolidados e ampliados “o ecossistema e os mecanismos” que são “vitais para a consolidação do petro”, a criptomoeda venezuelana que o Governo decretou de uso obrigatório.

Em relação à utilização do petro nas vendas da PDVSA, Nicolás Maduro determinou que se venda nessa criptomoeda “toda a gasolina” da companhia estatal “para aviões que cobrem as rotas internacionais”.