Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Rede MataBicho inaugura segunda cafetaria em Dezembro

O café angolano, como é também denominada a rede de cafés, estará aberto das 6h30 da manhã até às 2h da noite e conta oferecer aos clientes serviços de cafeterias, padaria, pastelaria, restaurante e bar a preços bastante atractivos.

Luanda /
15 Out 2021 / 19:33 H.

A rede de Cafés MataBicho, que dispõe de serviço de pastelaria e refeições leves, lança o seu segundo espaço no próximo mês de Dezembro, no shopping Fortaleza, em Luanda, depois da inauguração da primeira loja localizada no edifício Masuika Office Plaza, em Talatona, em Abril de 2019.

Nesta altura, o espaço está a receber obras de melhoria e adequação, que vão durar 70 dias, para a instalação da infra-estrutura, cuja inauguração está prevista para o próximo dia 20 de Dezembro, numa cerimónia que vai contar com a presença de diferentes individualidades nacionais.

MataBicho – O café angolano, como é também denominada a rede de cafés, estará aberto das 6h30 da manhã até às 2h da noite e conta oferecer aos clientes serviços de cafeterias, padaria, pastelaria, restaurante e bar a preços bastante atractivos.

Nos próximos anos, a rede conta abrir mais 23 unidades, totalizando 25 a nível nacional. Na capital do País, por exemplo, o projecto conta chegar às zonas mais afastadas do centro da cidade e inclusive às centralidades. Consta ainda que alguns espaços poderão dispor de esplanadas e, nalguns casos, dois pisos.

Inovação

Em termos de inovação, o destaque recai para a prestação de serviços diferenciados aos clientes, previsibilidade, atenção aos detalhes, ambiente de loja e modernidade na área dos cafés.

O valor do investimento médio por cada unidade ronda, o equivalente em Kwanzas, os 350 mil USD e tende a criar entre 26 a 30 postos de trabalho por cada loja.

Segundo a administração, o MataBicho pretende ser “moderno e sofisticado, mas com um toque angolano”, tendo como prioridade oferecer um serviço de excelência aos clientes, apresentando sempre produtos de alta qualidade com variedade e de produção nacional.

“Esperamos, não só oferecer mais empregos aos jovens da província de Luanda, mas também contribuir para o fortalecimento da economia, absorvendo a produção nacional de frutas e legumes”.