Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Munenga duplica produção para 500 mil ovos dia AVICULTURA

Uniovos, empresa que detém a marca Ovos da Munenga, abastece actualmente o mercado em 5% a 7% e prevê duplicar a produção no próximo ano.

Angola /
17 Dez 2018 / 11:23 H.

A Uniovos, empresa que detém a marca Ovos da Munenga, produz actualmente 255 mil ovos por dia, perfazendo 7,6 milhões de ovos por mês e vai duplicar a produção para 510 mil ovos por dia em 2019, revela ao Mercado o administrador da empresa. Gonçalo Ferreira avança que a empresa “pretende aumentar, durante o ano de 2019, para o dobro da produção e em 2020 está projectado e aprovado o aumento para o triplo da produção actual com a construção da terceira unidade de produção integrada”.

O gestor assegura que o País está quase a atingir a auto-suficiência no domínio da distribuição de ovos, “uma vez que recebemos sinais evidentes de saturação no mercado do ovo. Há cada vez mais produtores e o consumo não aumenta. Se continuarmos neste caminho, esta indústria irá em breve ser confrontada com a perda de biliões de kwanzas, assim como a falência de empresas produtoras e de muitos fornecedores que já trabalham em exclusivo na indústria avícola”.

“Não temos dados acerca da importação de ovos, temos até a informação que está neste momento impedida (e bem) pelas autoridades competentes, pois não se justifica a importação de ovos”, sustenta Gonçalo Ferreira, em resposta ao questionário do Mercado referente ao destaque da semana passada sobre a produção de ovos no País.

Quanto às políticas a serem adoptadas para que Angola atinja a autosuficiência no curto prazo, o administrador da Uniovos aponta que a meta que deve ser o aumento do consumo, porque já há iniciativas de produção mais do que suficientes para o mercado. “Em primeiro lugar, é necessário desmistificar alguns factos falsos associados à produção de ovos, nomeadamente a ideia de que as galinhas põem vários ovos por dia.

O facto é que alguns empreendedores, muito válidos e dinâmicos, que procuram aplicar o seu dinheiro em novos negócios para contribuírem neste gigantesco esforço de diversificação da economia do País, são motivados por informações distorcidas e muitas vezes mal aconselhados, acabando por se lançarem num negócio que não é tão rentável quanto julgam”, explica.

Leia mais na edição 185 do Jornal Mercado, já nas Bancas!