Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

MCTi acredita na literacia como o melhor caminho para transição digital

A transformação digital está presente em todas as estruturas e sistemas nos dias de hoje, e para que esta seja contínua, a formação é indispensável neste processo.

Luanda /
01 Nov 2022 / 08:17 H.

Director-geral da MCTi, empresa de treinamento, consultoria e suporte em tecnologia de informação, Carlos Gando, defendeu a necessidade de quadros qualificados e com competência técnica para corresponder os desafios do sector.

Em declarações ao Mercado, Carlos Gando defende, igualmente, quadros que dominem a matéria, bem como a criação de recursos a nível de infra-estrutura, que para tal sugere sinergias entre o Executivo e a classe empresarial do sector.

“Se o Executivo dinamizasse essa questão seria muito bom, nós como empresa de formação temos estado a mostrar aquilo que é a experiência porque damos auxílio na implementação de todas essas tecnologias”, afirmou.

Questionado sobre a transição digital em curso na administração pública, Carlos Gando declarou ser uma “boa dinâmica” para o mercado, uma vez que permite descentralizar os serviços, bem como combater as actuais filas enormes.

“A transição digital envolve cultura organizacional, que as pessoas conheçam o que é essa transformação digital, quais são os processos até chegarmos lá”, disse.

Fazendo uma avaliação do mercado tecnológico no País, Carlos Gando recordou que antigamente só empresas estrangeiras trabalhavam com “treinamentos Microsoft”, mas hoje já existem empresas nacionais focadas neste serviço, salientando a necessidade de melhoria em alguns aspectos.

“Precisamos melhorar ainda muito na qualidade e na entrega de serviços”, diz ressaltando que, “a qualidade é um aspecto chave para se ganhar confiança dos potenciais clientes”.

Mais adiante considerou muito importante o apoio das instituições do Governo pelo facto de ser o maior empregador.

“Seria bom se em todos os projectos tecnológicos que o Governo decidisse abraçar procurasse empresas nacionais com competências, caso não encontrasse no mercado local, só assim recorreria ao mercado externo”, frisou.

Neste sentido, apelou ao surgimento de mais empresas tecnológicas como impulso a criação de novos postos de trabalho.

“Precisamos ter mais empresas, isso vai impulsionar o emprego, trazer maior competitividade e qualidade entre as empresas”, afirmou numa alusão de que “estamos no bom caminho mas ainda precisamos fazer muito mais”.

Instado a falar sobre a facturação da empresa, Carlos Gando revelou que esta foi de 20 milhões Kz no ano passado, tendo, igualmente, no primeiro semestre daquele mesmo ano uma facturação de cerca de sete milhões Kz e no primeiro semestre do ano corrente 12 milhões Kz.

Sobre a empresa

A MCTi, empresa de treinamento, consultoria e suporte em tecnologia de informação oferece formação profissional em tecnologias e certificação pela Microsoft, Comptia, Cisco e outros, formações estas que podem ser dadas nas instalações do cliente, o que torna o acesso e o processo de aprendizado mais acessível e facilitados.

A empresa também actua como revendedor de soluções locais, cloud, Microsoft, licenças e actualmente é um CSP Microsoft (Cloud Servisse Provide) e apresenta variados cursos como AZ-220: Microsoft Azure IoT Developer, CompTIA PenTest+, CompTIA Security+, Microsoft Azure Administrator Associate.

Os custos com infra-estruturas para os laboratórios, ficam reduzidos fazendo recurso a cloud tornando-as totalmente móveis.

“Nós não temos que montar um datacenter aqui fisicamente, tratar questões de refrigeração, e alta disponibilidade. A única coisa que precisamos aqui é a internet e os formandos conseguem ter acesso a formação”, adiantou o Director-geral.

A MCTi alberga no seu portefólio treinamento para instituições e empresas como a Academia BAI, empresas ligadas à banca e finanças.

Tornar-se líder a nível de mercado treinamento e expandir a empresa para além de Luanda, fazem parte dos planos futuros da empresa que neste momento faz uma análise de mercado das províncias onde pretende marcar presença física.