Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Lucros das empresas industriais da China caem 2,1% entre Janeiro e Agosto

Para a elaboração deste indicador, o GNE considera apenas as empresas industriais com um volume de negócios anual superior a 20 milhões de yuans (2,9 milhões de euros).

Luanda /
27 Set 2022 / 09:18 H.

Os lucros das principais empresas industriais da China registaram uma queda homóloga de 2,1%, entre Janeiro e Agosto, aprofundando a tendência de contracção, segundo dados divulgados esta terça-feira pelo Gabinete Nacional de Estatísticas do país asiático.

Quando os dados são negativos, as estatísticas chinesas evitam divulgar a evolução mensal, optando antes por publicar o valor conjunto até à data. No entanto, a contracção entre Janeiro e Agosto é um ponto percentual superior à queda registada entre Janeiro e Julho, de 1,1%.

Em 2021, as empresas industriais chinesas facturaram 34,3% a mais do que no ano anterior. Este valor deve-se, sobretudo, a uma base comparativa baixa, já que no primeiro semestre de 2020 a actividade económica do país foi fortemente abalada por medidas de confinamento, que visavam travar o surto inicial de COVID-19, registado na cidade chinesa de Wuhan.

No primeiro trimestre deste ano, o indicador registou uma evolução positiva, de 8,5%, mas nos meses seguintes sofreu contracções assinaláveis, derivadas, sobretudo, dos efeitos adversos dos confinamentos e bloqueios ordenados pelas autoridades, no âmbito da política chinesa de ‘zero casos’ de COVID-19.

Para a elaboração deste indicador, o GNE considera apenas as empresas industriais com um volume de negócios anual superior a 20 milhões de yuans (2,9 milhões de euros).

O responsável estatístico da instituição, Zhu Hong, afirmou que, apesar do que descreve como uma “tendência de recuperação”, os lucros das empresas industriais continuam a diminuir, em parte porque os custos de produção e operações “ainda são elevados” e o ambiente internacional é “instável e incerto”.