Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

IGAPE vende mais sete activos e Estado encaixa 19 mil milhões Kz

O Instituto de Gestão de Activos e Participações do Estado (IGAPE) procedeu hoje à assinatura de contratos de adjudicação de sete activos incluídos nos concursos públicos de privatização de empreendimentos agropecuários e agroindustriais, revelou a instituição em comunicado.

Angola /
07 Abr 2020 / 15:51 H.

A alienação dos activos resulta dos Concursos Públicos 4 e 5, ambos lançados pelo IGAPE em 2019, no âmbito do programa de privatizações. Os sete activos foram adquiridos por cinco empresas de direito angolano e geram para o Estado uma receita de cerca de 19 milhões Kz.

O grupo FF Empreendimentos assinou o contrato de adjudicação referente à aquisição da Fazenda Agro-industrial de Camaiangala, localizada na província do Moxico, por cerca de 9,7 mil milhões Kz. Com uma área de 19 mil hectares, incluí uma fábrica de processamento de cereais e estrutura para a prática de pecuária. O Concurso Público n.º 4/2019, que culminou com a privatização da Fazenda de Camaiangala, incluía ainda os empreendimentos agro-pecuários do Longa (Cuando-Cubango), Cuimba (Zaire) e de Sanza Pombo (Uíge), que não tiveram propostas ou cujas propostas de aquisição estavam abaixo do determinado pela Comissão de Negociação e, por isso, não foram aceites. As três fazendas serão incluídas em próximos concursos de privatização.

Foram ainda assinados os contratos de adjudicação com as empresas Fazenda Pérolas do Kikuxi, Telgest, Sociedade Agropecuária do Bailundo e Grupo Edson Droves pela aquisição dos Matadouros Modulares de Luanda, de Camabatela e de Porto Amboim, do Complexo de Silos de Catete, do Entreposto Frigorífico de Caxito e da Fábrica Processamento de Tomate e Banana de Caxito, cujos valores de aquisição perfazem um total de 8,9 mil milhões Kz.

Os activos faziam parte do Concurso Público N.º 5/2019, que incluía ainda o Matadouro Modular de Malanje, a Fábrica de Latas do Dombe Grande, a Fábrica de Processamento de Tomate de Dombe Grande, o Entreposto Frigorifico de Dombe Grande, a Fábrica de Processamento de Tomate do Namibe, o Entreposto Frigorifico do Namibe e os Complexos de Silos da Caconda, da Caála, de Catabola, da Ganda e da Matala, que tiveram licitações ou cujas propostas de aquisição dos investidores estavam abaixo dos valores determinados e, por isso, não foram aceites pela Comissão de Negociação nomeada para orientar o processo.

Em média, as propostas financeiras aprovadas pela Comissão de Negociação em ambos os concursos situaram-se à volta de 80% do valor de referência e relativamente a dois dos activos estiveram acima do preço inicial de venda, conclui o documento.