Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Iberquímica vai produzir 50 mil litros de detergentes por hora

“As obras que decorrem nas nossas instalações fabris justificam as pretensões referenciadas”

Luanda /
27 Jun 2022 / 13:02 H.

A Iberquímica vai aumentar a produção de detergentes de 6 mil para 50 mil litros por hora, a partir de Julho do presente exercício económico, segundo Kadjex Vera Cruz, director de produção daquela empresa, em declarações ao Mercado.

Para a efectivação do projecto, informou, estão a ser construídas novas naves nas instalações da Iberquímica, localizada na Zona Económica Especial Luanda-Bengo (ZEE), que vão, certamente, garantir o aumento da produção de detergentes no próximo mês.

A produção actual, segundo ainda Kadjex Vera Cruz, está longe de satisfazer a demanda do mercado, mas, acredita que a partir de Julho de 2022 a oferta de detergente da Iberquímica vai melhorar, quer em quantidade, como em qualidade. “As obras que decorrem nas nossas instalações fabris justificam as pretensões referenciadas”.

O aumento da produção é uma certeza, afirmou, embora 80% a 90% da matéria-prima seja importada de Portugal e África do Sul. Como é obvio os restantes 10% são adquiridos no mercado interno, com base nos conhecimentos químicos que possuem.

Apesar das projecções serem positivas, como se pôde depreender das declarações de Kadjex Cruz, a Iberquímica também tem enfrentado dificuldades, tais como a obtenção de divisas e a retirada de contentores no Porto de Luanda, tendo em conta a burocracia.

O fornecimento de água (principal matéria-prima) é outra das dificuldades apontadas pelo director de produção da Iberquímica, embora esteja localizada no maior polo industrial do País. A solução tem sido o “recurso aos caminhões-cisternas que, de certa forma, influenciam indirectamente no preço do produto final, tornando-os caros”.

A falta de energia eléctrica, disse, também é um dos problemas por que passa a Iberquímica na ZEE, o uso de grupos geradores e painéis solares são as forma encontradas para minimizar os constrangimentos que impactam na produção.

“Usámos painéis solares na maior parte do escritório. Mas, a nossa maior preocupação é com o impacto ambiental, face ao tratamento que demos aos resíduos produzidos pela fábrica”, declarou o director de produção da Iberquímica, unidade fabril instalada em Luanda e Benguela. Tem distribuidores (oficiais) nas províncias do Huambo e Huíla.

A unidade industrial de Benguela, de acordo com Kadjex Vera Cruz, é a mais profícua, quando é analisado o contributo de cada uma na rentabilidade da empresa.

O objectivo da Iberquímica, explica, é servir as 18 províncias e em seguida passar a exportar para os países vizinhos desde a parte sul e norte do País. Mas, ainda assim, acredita ser prematuro avançar datas para o início da exportação, visto que a missão passa por criar condições para suportar o mercado interno.

“É nossa intenção tornarmo-nos na maior indústria de produtos industriais em Angola com destaque para os produtos hospitalares e pest control, agro-alimentares e higiénicos”, declarou Kadjex Vera Cruz, para mais adiante afirmar que nesta altura são os principais fornecedores de produtos alimentares do Grupo Carrinho.