Huambo: Longas filas na restituição do dinheiro aos clientes do Banco Postal

Quatro a cinco horas é o tempo que alguns clientes do Banco Postal, na sua maioria moto-taxitas e pequenos comerciantes, alegam esperar para serem atendidos, no âmbito do processo de restituição do seu dinheiro, depositado nesta instituição bancária, cuja licença foi revogada no dia 02 deste mês, pelo Banco Nacional de Angola.

Angola /
14 Jan 2019 / 16:54 H.

A instituição bancária, a par do Banco Mais, viu a sua licença revogada pelo Banco Central depois de não ter cumprido o aviso nº2/2018 que obrigava o aumento do capital social de 2,5 mil milhões, para 7,5 mil milhões de Kwanzas até 31 de Dezembro de 2018.

Numa ronda efectuada pela ANGOP, constatou-se longas filas de clientes na única agência, na avenida Rei Wapojamba, para obter algum esclarecimento, enquanto outros lotaram as dependências do Banco de Comércio Indústria (BCI), por ser o local autorizado para transferir ou levantar o dinheiro depositado no Banco Postal.

ISatisfeito por ter levantando os seus cinco mil Kwanzas, Angelino Satepa, entrevistado pela ANGOP, explicou que o processo é bastante simples, em que o cliente apresenta, em caso de levantamento, o número de telefone e o PIN do cartão SIM, ao passo que em caso de transferência o cliente deve apresentar apenas o número bancário internacional (IBAN- sigla em inglês).

A direcção do Banco Postal, em funcionamento na província do Huambo, desde 2017, negou prestar qualquer informação a respeito.

O Banco Postal, com sede na província de Luanda, oferece o serviço Xikila Money, uma novidade também no mercado angolano, onde as contas são abertas com o número do telemóvel, ajudando, por esta via, a efectuar pagamentos de serviços de televisão, telefone, energia eléctrica e demais.