Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Fazenda Turiagro com volume de negócio estimados em 1,5 mil milhões kz

A infra-estrutura tem uma capacidade de produção de 12 mil toneladas de produtos/ano, constituídos por 80% de banana, e 20% de mamão, maracujá e goiaba.

Luanda /
12 Out 2021 / 07:30 H.

A fazenda Turiagro, localizada na província do Bengo, município do Dande, voltada para a produção de frutas, com destaque para banana, conta com um volume de negócio de cerca 1,5 mil milhões kz por ano, segundo fez saber o director comercial Joca Muteia.

Com uma área de 300 hectares, a fazenda tem uma capacidade de produção de 12 mil toneladas de produtos/ano, constituídos por 80% de banana, assumindo-se como a segunda maior fazenda produtora da fruta no País, sendo os restantes 20% da produção reservada ao mamão, maracujá e goiaba.

De acordo com Paulo Rey, chefe do departamento de processamento, as frutas passam por um processo de selecção, lavagem, peso, maturação e embalamento antes de serem encaminhadas aos mercados formais e informais da capital do País.

Paulo explica que a empresa se encontrava num período em que se observa baixa na produção, que vai de Junho a Setembro, devido ao cacimbo, com uma colheita diária de 20 a 25 toneladas diária de banana. “Agora com a chegada do calor registamos um aumento da produção que vai de 30 a 35 toneladas de frutas tropicais que se desenvolvem melhor nesta fase do calor”, disse.

A distribuição da produção é feita a nível da capital do País de segunda a sábado a partir dos mercados formais (hipermercados e supermercados), fazendo estes por sua vez a distribuição para o resto do País até aos mercados informais, sendo que as encomendas são feitas com 48 horas de antecedência.

Muteia explica que os produtos fazem parte da dieta alimentar das famílias e a procura chega a ser maior que a oferta, por esta razão não conseguem satisfazer o mercado local e arredores.

Nesta senda, adianta, há a necessidade de se fazer novos investimentos para colmatar as necessidades do mercado. Segundo o responsável, estando a empresa impossibilitada de actualizar os preços das frutas, devido ao contexto actual de crise económica do País e o fraco poder de compra da população, as chances de investimentos vitais a curto-médio prazo são mínimas.

“Investimentos vitais porque as plantas têm um tempo de vida curto e altamente influenciado pela natureza”, disse.

Dificuldades

A falta de divisas foi uma das principais dificuldades enfrentadas em 2019 para honrar alguns compromissos com fornecedores estrangeiros, situação acautelada em 2020 face à nova política criada pelo Banco Nacional de Angola (BNA) quanto a atribuição de divisas às empresas para importação.

Joca Muteia perspectiva uma estabilização cambial para os próximos anos, com taxas de juros mais baixas e atractivas, possibilitando às empresas agrícolas recorrer a financiamento bancário para a realização de investimentos.

A fazenda conta com 12 câmaras contentorizadas para maturação de banana, três câmaras de conservação de frutas, com uma capacidade de 500 metros cúbicos cada, 10 caminhões frio para entrega, oito tractores para recolha das frutas e um autocarro que apoia os trabalhadores.

A infra-estrutura foi fundada em 2011 com um investimento de 5 milhões USD. Desde o seu surgimento passaram nesta empresa, mais de três mil funcionários, actualmente conta com 403, destes, três são expatriados.

Localizada na província do Bengo, município do Dande, conta com uma força de trabalho maioritariamente local, garantindo aos trabalhadores transporte, seguro de acidente de trabalho, assistência médica e medicamentosa.

Recorde-se que o nome “Turiagro” surgiu para implementação de um projecto integrado entre o turismo e a agricultura, com o objectivo de se rentabilizar e contemplar o agro-turismo. Joca Muteia afirmou que o projecto infelizmente nunca chegou à fase de maturação.