Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Empresários portugueses e angolanos juntam-se para incrementar parcerias

As exportações de bens portugueses para Angola aumentaram 50,8% nos primeiros oito meses de 2022, face ao ano anterior, atingindo aproximadamente 890 milhões de euros.

Luanda /
01 Nov 2022 / 11:49 H.

Os empresários portugueses e angolanos reuniram-se recentemente em Luanda num evento que celebrou os 35 anos da Câmara do Comércio e Indústria Portugal-Angola (CCIPA) para estimular parcerias entre os empresários dos dois países.

Durante o evento, João Luís Traça, presidente da CCIPA afirmou que a vontade dos empresários angolanos e portugueses de se encontrarem e reforçar parcerias não mudou, mesmo na “ressaca do COVID que trouxe muitas incertezas mudanças”.

“Este evento tem lugar numa altura em que estamos a iniciar um novo ciclo económico. Após uma profunda recessão, os bons fundamentos da macroeconomia angolana estão de volta. Este novo ciclo de crescimento terá associado a diversificação da economia angolana. Compete assim aos empresários, e neste caso particular, aos empresários de Angola e de Portugal, serem os actores deste ciclo e estabelecer as parcerias necessárias para agarrar as oportunidades que a diversificação vai trazer”, apontou.

João Luís Traça reforçou o compromisso da CCIPA afirmando que “cá estaremos todos os dias para sermos “aceleradores” destas parcerias e destas oportunidades: ao publicarmos a nossa newsletter semanal, organizando webinares, seminários ou eventos como este, mas também através de iniciativas que, embora com pouca visibilidade no nosso dia-a-dia, contribuem para a criação de mais e melhor informação para facilitar processos de decisão de investimento”.

Exportações de Portugal para Angola aumentaram quase 51%

As exportações de bens portugueses para Angola aumentaram 50,8% nos primeiros oito meses de 2022, face ao ano anterior, atingindo aproximadamente 890 milhões de euros, segundo a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP).

Os dados foram revelados pelo delegado da AICEP, João Falardo, que interveio no 5.º Encontro Angola-Portugal, organizado pela Câmara de Comércio e Indústria Portugal-Angola.

No que diz respeito às importações, o comércio com origem em Angola (essencialmente combustíveis minerais) aumentou 506,4%, entre Janeiro e Agosto, num total de 438 milhões de euros.

Angola é o nono destino das exportações portuguesas tendo subido uma posição em relação a 2021, sendo o 27.º fornecedor de bens a Portugal (48.º lugar em 2021).

O responsável da AICEP salientou que o relacionamento bilateral entre Portugal e Angola “atravessa nas suas várias dimensões, um excelente momento” e deve ser acompanhado “por uma actividade comercial cada vez mais dinâmica”.

Actualmente actuam em Angola 1.300 empresas de capital português ou misto em sectores como a construção civil, o agro-alimentar e agro-industrial, a banca, os seguros metalomecânicos, tecnologias de informação e comunicação, energia, saúde, transporte e logística, afirmou João Falardo.

O evento contou com representantes do Governo de Angola e Embaixada de Portugal, bem como a presença de altas entidades ministeriais, vários dignitários angolanos e internacionais, parceiros de negócios bem como diferentes intervenientes empresariais de Portugal e Angola.

Foi referido o “Prémio CCIPA 35 anos”, iniciativa que visa premiar trabalhos sobre a economia angolana realizados por alunos de universidades angolanas e portuguesas e que decorre neste momento e já divulgado junto das universidades angolanas.