Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Crise no sector petrolífero afecta crescimento da Teleservice

“Apesar do susto causado pela pandemia da COVID-19o mercado mantém-se favorável para qualquer empresa de estrutura robusta e flexível”.

Luanda /
18 Fev 2021 / 10:23 H.

O desinvestimento verificado no sector petrolífero em 2020 impactou negativamente no crescimento da Teleservice naquele ano, disse o presidente da Comissão Executiva, José Figueiredo, em entrevista ao Mercado.

A Teleservice tem as empresas petrolíferas como principais clientes, por isso, segundo José Figueiredo, se ressentiu da optimização das despesas efectuadas pelas mesmas. “Aproveitámos este período para também baixar os nossos custos administrativos.

Investimos nas infra-estruturas de formação e apoio operacional”, declarou, argumentando que tal facto permitiu a empresa melhorar o serviço prestado aos clientes, principalmente na contenção da criminalidade. Face aos desequilíbrios resultantes da aposta no sector petrolífero nos últimos anos, disse, a Teleservice perspectiva explorar novas áreas de mercado e continuar a crescer no portfólio de clientes.

“Estamos com investimentos significativos na segurança electrónica, mineira, marítima e com drones. Estas áreas de negócio são interessantes no actual mercado”, declarou. A aposta nos segmentos de negócios apontados por José Figueiredo consta das prioridades porque “os serviços de segurança a condomínios e a privados deixaram de ser rentáveis para a Teleservice em 2019. Por isso temos feito um esforço para escolhermos cuidadosamente com quem pretendemos trabalhar”.

Diante das dificuldades, esclareceu, aquela empresa implementou um plano de contingência e continuidade de negócios robustos, permitindo o cumprimento do objectivo estabelecido para 2020 (reestruturação salarial), do qual resultou no aumento da remuneração média dos trabalhadores, face à inflação.A questão cambial continua a ser um dos maiores constrangimentos para a Teleservice, afirmou o presidente da Comissão Executiva da Teleservice. “Muitos contratos que assinamos de momento ainda estão indexados em USD, mas negociados a preços relativamente mais baixo. Significa dizer que as renegociações trazem uma redução de facturação, não acompanhada pela redução dos custos operacionais”.

Tal facto tem causado alguma pressão à tesouraria daquela empresa de segurança, mas, segundo ainda José Figueiredo, já se encontrou um plano para reverter a situação. O aumento do custo dos transportes de pessoas e mercadorias também foi um dos constrangimentos para a Teleservice, face à cerca sanitária sobre a província de Luanda.Houve igualmente “um aumento das despesas com a quarentena, isolamento e testagem dos nossos colegas que trabalham nas grandes bases petrolíferas. Esses custos nem sempre são ressarcidos pelos clientes na totalidade”.

Apesar do susto causado pela pandemia da COVID-19, para o PCE da Teleservice o mercado mantém-se favorável para qualquer empresa de estrutura robusta e flexível. “Há que se adaptar à nova realidade, tendo sempre como objectivo final a manutenção da presença no mercado, a empregabilidade do nosso grupo de trabalhadores e a rentabilidade da empresa”, afirmou.

Embora seja difícil quantificar o crescimento, devido à forma de facturação, José Figueiredo considera que a Teleservice está em condições de cumprir os objectivos traçados para o triénio 2019 – 2021. “Estamos com perspectivas positivas para o ano 2021 com o aliviar das medidas restritivas e o retorno ao investimento privado, quer nacional e estrangeiro”.

A Teleservice, garantiu, é uma empresa cuja força de trabalho é 100% nacional, recorre aos préstimos de estrangeiros para certificações internacionais, manutenção de equipamentos, máquinas especializadas e assessoria na formação. O foco daquela empresa transcende o objecto social (segurança) também contribui para a elevação de outros parceiros, no âmbito da acção social.“A nível dos desportos náuticos, a Teleservice patrocina anualmente a modalidade de vela do Clube Naval de Luanda e garante a segurança das instalações. Também colabora na protecção ambiental, apoiando a Fundação Quiçama, tendo fornecido uniforme, botas, equipamentos de fiscalização e patrulhamento”