Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Cabinda Gulf Oil e ANPG assinam contrato de exploração até 2050

A extensão desta Concessão é pronúncio para contrariar o declínio da produção e mantermos o foco no seu crescimento a médio e longo prazo”.

Angola /
06 Dez 2021 / 12:43 H.

A Cabinda Gulf Oil Company Limited (CABGOC) e Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANPG) assinaram, em Houston, Estados Unidos da América, um contrato que visa a extensão da exploração e produção do Bloco 0 por mais 20 anos.

No âmbito desta extensão, a CABGOC continua a ser a operadora do Bloco com uma participação de 39,2%. Do grupo empreiteiro, fazem parte a Sonangol com uma participação de 41%; a Total com 10% e a Eni Angola com 9,8%.

Participaram no acto da assinatura o Secretário de Estado para o Petróleo e Gás, José Barroso; o Presidente da ANPG, Belarmino Chitangueleca; Derek Magness, da Chevron; Joaquim Fernandes, da Sonangol e Jaime Luzolo, da Eni.

Belarmino Chitangueleca considera este acordo importante porque “significa a continuidade e a confiança de um parceiro que vem de longe que em muito contribuiu para a afirmação de Angola, como um grande produtor de petróleo em África”. A extensão desta concessão é pronúncio para contrariar o declínio da produção e mantermos o foco no crescimento a médio e longo prazo”.

"Estamos satisfeitos com a oportunidade de mantermos a nossa parceria com o Governo de Angola e com as associadas do Bloco 0, no âmbito da qual continuaremos a utilizar as nossas competências técnicas e profissionais nas áreas da exploração e da produção em Angola, as quais são mundialmente reconhecidas", enfatiza Billy Lacobie, Director Geral da Unidade Estratégica de Negócios da África Austral da Chevron.

"Orgulhamo-nos de ter desempenhado um papel significativo no desenvolvimento da indústria petrolífera e do gás em Angola, País onde trabalhamos há 60 anos a esta parte, sendo que temos o firme objectivo de continuar a contribuir para o fornecimento de energia fiável, acessível e cada vez mais limpa aos angolanos, que permita o progresso da humanidade e impulsione Angola para um estádio avançado de progresso e desenvolvimento", acrescentou Billy Lacobie.

Para além do Bloco 0, a CABGOC opera e detém uma participação de 31% num contrato de partilha de produção (CPS) no Bloco 14, em águas profundas, localizado a Oeste do Bloco 0. Em 2020 a produção média diária líquida da CABGOC foi de 89,000 barris de líquidos e de 340 milhões de pés cúbicos de gás natural.