Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Angola Telecom com incapacidade de continuar curso normal de negócios

Luanda /
08 Ago 2022 / 12:01 H.

A Angola Telecom E.P teve um resultado líquido positivo de 27.036 milhões Kz no exercício económico de 2021, ao passo que resultado financeiro foi de 19.237,5 milhões Kz positivo, tendo diminuído em 160,94% face ao exercício de 2020, refere o Relatório e Contas de 2021.

Apesar do resultado liquido positivo, o auditor independente chama atenção para o facto dos Capitais Próprios serem negativos e do passivo corrente exceder o activo corrente em 137.898.181 milhões Kz, sem considerar os potenciais efeitos das matérias apresentadas nas bases para opinião com reservas.

Estas circunstâncias, segundo o auditor independente, indicam a existência de uma incerteza significativa que pode colocar em causa a capacidade da empresa de telecomunicações de Angola em continuar o seu curso normal de negócios.

Neste contexto, diz o auditor, a continuidade da empresa está dependente do apoio a prestar pelo Estado ou da realização de futuras operações lucrativas.

Em termos de conclusões, o conselho fiscal indica que é pela primeira vez nos últimos três anos que a empresa apresenta um resultado líquido de 27.036 milhões Kz, reconhecendo-se o esforço implementado para inverter a condição negativa do Capital Próprio, decorrente dos sucessivos resultados negativos dos exercícios económicos anteriores.

De acordo com o relatório, os proveitos operacionais totalizaram 20.430 milhões Kz no exercício de 2021, tendo registado um aumento na ordem de 2,56% face ao ano anterior.

Contudo, os custos operacionais registaram uma diminuição de 8,87% face ao ano anterior.

Apesar do decréscimo registado na rubrica de custos operacionais face ao exercício de 2020 na ordem de 8,87%, correspondente a 9.247 milhões em ternos numéricos comparativamente ao ano anterior e representou uma evolução na ordem de 57,06% estando em 2.029 milhões Kz.

O relatório indica ainda que, os resultados não operacionais aumentaram em 158,08% justificado pela redução das correcções de anos anteriores, igualmente menos multas e penalidade contratuais comparativamente ao ano de 2020 registou-se a reposição das provisões – cobrança duvidosa.

Ressalta-se ainda que, a melhoria significativa dos resultados líquidos do exercício em 183% permitiram uma melhoria significativa no valor do Capital Próprio tornando-o menos negativo.

A redução significativa no valor do passivo (mais 30 milhões Kz é explicado pela melhoria cambial e a correcção que permitiu efectuar em contas a pagar.

Fazendo fé no relatório, o aumento dos capitais circulantes (activo corrente) e a redução do exigível de curto prazo (passivo corrente) permitiu à empresa melhorar o seu nível de liquidez.

No relatório, o conselho fiscal realça o facto de o activo corrente ser inferior ao passivo corrente de 75.265,51 milhões Kz devido, ao elevado valor de conta a pagar pela empresa, incluindo contribuições do INSS, o que demonstra incapacidade de cobertura das suas despesas operacionais.

Assim, para se sair do sufoco tal como recomendado pelo auditor externo, o conselho fiscal aponta entre outros aspectos, a realização de investimentos em infra-estruturas adequadas ao plano estratégico em vigor, com vista a inverter o actual quadro da situação financeira da empresa.

Recomenda também a injecção de capital por parte do accionista face a incapacidade quanto a continuação do negócio, conforme evidenciado pelas demonstrações financeiras apresentadas.