Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Angola mostra potencialidades agrícolas a investidores no Dubai

O Fórum de Comércio e Investimento (FIN África - Emirados Árabes Unidos 2021), reuniu entidades e organizações comprometidas com o desenvolvimento do continente africano por meio do Investimento Directo Estrangeiro nos sectores – chave, como Petróleo e Gás, Energia, Construção, Finanças, Agricultura e Tecnologia.

Luanda /
23 Nov 2021 / 08:44 H.

As oportunidades e o potencial agro-pecuário, assim como as facilidades para todo aquele que está interessado em investir no País, foram apresentadas recentemente, a homens de negócios estrangeiros no Dubai, pelo secretário de Estado para Agricultura e Pecuária, João da Cunha.

De acordo com o Jornal de Angola, o governante chefia uma delegação ministerial aos Emirados Árabes Unidos e está a cumprir uma agenda de trabalho, visando à busca de parcerias vantajosas para o País.

João da Cunha participou no Fórum de Comércio e Investimento (FIN África - Emirados Árabes Unidos 2021), que reuniu entidades e organizações comprometidas com o desenvolvimento do continente africano por meio do Investimento Directo Estrangeiro (IDE) nos sectores – chave, como Petróleo e Gás, Energia, Construção, Finanças, Agricultura e Tecnologia.

Na sua intervenção, o secretário de Estado enalteceu as potencialidades agrícolas do País e as principais áreas do sector onde se pode realizar investimentos sem obrigatoriedade de parceiros locais.

Realçou, também, o papel dos países africanos em terem relações ou encontros mais frequentes para explorar melhor as oportunidades que cada um possui.

Os organizadores do FIN África - Emirados Árabes Unidos 2021 entendem que a globalização é o resultado de transformações nas áreas política, económica, tecnológica e social.

As empresas multinacionais e as integrações económicas têm sido eficazes na economia mundial ao criar concorrência entre os países. O comércio exterior e os investimentos directos ajudam os países em desenvolvimento a enfrentar a concorrência internacional ao estimular a sua economia, bem como aumentar a produtividade e a capacidade de exportação.

Dominaram as discussões temas como “Chaves para Atrair Investimento Estrangeiro”, “Obstáculos ao Crescimento do Investimento em África”, “Efeito das Políticas Governamentais sobre os Investidores”, “Legislação e Regulamentação Eficazes, Essenciais para o Crescimento Económico e do Investimento”, o “Crescimento do Investimento”, o “Comércio Internacional”, “Políticas de Comércio e Investimento”, “O Futuro do Petróleo e Gás numa Economia Digital” e “Segurança Alimentar e Ameaças Ecológicas Globais”.