Wall Street fecha em alta após Donald Trump adiar tarifas à China

Wall Street ‘adormeceu’ em terreno positivo, com os principais índices bolsistas dos Estados Unidos da América (EUA) no ‘verde’ e a ganhar mais de 1%, perante uma acalmia das tensões comerciais entre Washington e Pequim.

EUA /
14 Ago 2019 / 10:47 H.

O Gabinete do Representante de Comércio dos EUA anunciou que determinados bens estavam a ser removidos da nova lista de tarifas a aplicar à China devido a questões de “saúde, segurança, segurança nacional e outros factores”.

Aliás, várias taxas aduaneiras seriam mesmo adiadas até dia 15 de dezembro, incluindo as de produtos como telemóveis, portáteis, consolas, brinquedos, monitores de computador, de calçados e roupas. Como se trata essencialmente de produtos electrónicos, as acções das tecnológicas foram as que reagiram de forma mais positiva ao anúncio deste adiamento.

Neste contexto económico-político, o Dow Jones encerrou a somar 1,44%, para 26.279,91 pontos, e, na mesma linha, o S&P 500 avançou 1,48%, para 2.926,32 pontos. Também o Nasdaq valorizou 1,95%, para 8.016,36 pontos, enquanto o Russell 200 cresceu 1,01%, para 1.510,39 pontos.