“OMC terá de olhar para África doutra maneira”, considera Roberto Azevedo

O director-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Roberto Azevedo, disse em Addis Abeba, capital da Etiópia, que a África sempre foi considerado o celeiro do Mundo, mas vai ser preciso que a OMC mude a sua maneira de olhar para esse continente.

13 Fev 2019 / 11:50 H.

Em entrevista à RFI, Roberto Azevedo afirmou que “o comércio global desempenha um papel fundamental para tirar as pessoas da pobreza”, mas criticou as medidas isolacionistas de alguns governos, “cujas motivações estratégicas e políticas acabam por ter um impacto negativo na área comercial”.

Falando do Continente africano, Roberto Azevedo lembrou que – para a OMC – a questão sanitária, em África, é uma grande preocupação. “Saindo daqui, da União Africana, a gente encontra pela rua todos os mercados, e é ali realmente que a segurança alimentar precisa chegar”.

Por outro lado, o líder da OMC explicou também que, para resolver a maior parte dos problemas do Continente africano, será necessária uma abordagem completamente diferente. “Diz-se que África é o celeiro do Mundo. Mas é preciso que a OMC veja com outros olhos o que acontece nesse Continente”, sublinhou.

Recorde-se que Roberto Azevedo participou na primeira Conferência Internacional sobre Segurança Alimentar, organizada por diversas agências das Nações Unidas, na sede da União Africana em Addis Abeba, na Etiópia.