Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

O Homem do Leme

Lélis assume o cargo de CEO do BAI desde 2018 e exerce cumulativamente as funções de presidente do Conselho de Administração da NOSSA Seguros; do BAI Cabo-Verde; SAESP, SA e de presidente da Comissão de Remunerações da BAIGEST, SA.

Luanda /
10 Set 2021 / 17:46 H.

Luís Filipe Rodrigues Lélis substitui José de Lima Massano ('Patrono' da Banca angolana contemporânea) na presidência da Comissão Executiva, garantindo a estabilidade e crescimento do Banco Angolano de Investimentos (BAI).

Gere a instituição num dos momentos mais críticos da economia, mas nem por isso teme implementar reformas.

Comprometido com a solidez do BAI (no sistema financeiro), Luís Lélis encarna a têmpera de um gestor triunfalista mesmo em tempo de crise, ao perfilhar a alienação de activos do Consórcio (Griner, Novinvest, S.A e Banco BAI Micro Finança (BMF) para se concentrar exclusivamente no core de um banco comercial de grande dimensão.

Sob liderança de Luís Lélis (licenciado em finanças e marketing pela Universidade de Michigan, Estados Unidos da América), a Comissão Executiva do BAI está a implementar uma operação de "ring facing" (separar a área financeira da não financeira do grupo com alienações e redução de participações).

Há três anos à frente da Comissão Executiva (2018), inicia a carreira bancária no BAI em 2004, como assistente do presidente do Conselho de Administração até 2006, quando é nomeado director comercial. Ainda no mesmo ano ascende ao cargo de administrador.

Lélis (que já foi assistente do Director-geral da Sonangol de 1996 a 1999) assume o cargo de CEO do BAI desde 2018 e exerce cumulativamente as funções de presidente do Conselho de Administração da NOSSA Seguros; do BAI Cabo-Verde; SAESP, SA e de presidente da Comissão de Remunerações da BAIGEST, SA.

É um expert em finanças, pois (entre 1996 e 1999) assessora o ministro das Finanças e administrador não Executivo da Mercury, até antes de regressar à Sonangol (2002).