Grupo Super Bock abandona construção de fábrica em Angola

A China continua a ser o principal mercado externo do grupo português Super Bock.

Angola /
12 Jul 2019 / 10:13 H.

Em entrevista a um Jornal Português, o Rui Lopes Ferreira, presidente executivo do grupo explicou que o abandono deve-se a actual crise financeira que o país atravessa.

“Angola é actualmente um mercado com vendas residuais, devido à crise financeira e económica que o país atravessa”, disse Rui Ferreira, que acrescentou “as nossas marcas continuam a ser acarinhadas pelos consumidores angolanos.”

O abandono do projecto é o culminar também de uma ideia que nasceu em 2006, ainda sob a égide de Manuel Ferreira de Oliveira, e foi retomado pelos seus sucessores, Pires de Lima, João Abecassis e, agora, Rui Lopes Ferreira.

A Unica, a parceria criada em Angola com investidores locais, para facilitar o avançar do projecto, está hoje em liquidação, tendo Rui Ferreira afirmado que “pelo caminho fica um investimento que chegou a estar estimado em 130 milhões de euros.”