Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Fitch baixa ‘rating’ da operadora de jogo em Macau Sands China

A agência de notação financeira Fitch baixou hoje (13/08) a perspectiva do ‘rating’ da operadora de jogos Sands China, com casinos em Macau, de estável para negativa (BBB-) e manteve a classificação da MGM China em BB-.

Luanda /
13 Ago 2020 / 12:28 H.

A revisão “reflecte as condições operacionais mais fracas”, do que a Fitch estimara anteriormente. E mesmo o facto de a China ter anunciado o recomeço gradual da emissão de vistos turísticos no país para Macau teve um efeito positivo na avaliação.

“Em Macau, as restrições às viagens de e para a China continental estão a manter o turismo em Macau em níveis baixos, embora as restrições tenham começado a aliviar nas últimas semanas”, apontou a agência.

Se é verdade que a partir de 23 de Setembro, a China vai reinstaurar os vistos individuais e de grupo a Macau, enquanto os residentes da província de Guangdong podem começar a candidatar-se a 26 de Agosto, a Fitch justifica que a sua avaliação se justifica por uma questão de prudência, mas também na convicção de que serão tomadas “medidas adequadas para manter a liquidez adequada”.

Hoje também, a Fitch manteve a perspectiva do ‘rating’ da MGM China em BB-, empresa que também explora casinos em Macau.

A agência de notação financeira justificou a decisão pela “forte posição de liquidez” para enfrentar a actual crise causada pela pandemia do novo coronavírus.

Macau, que recebeu quase 40 milhões de visitantes em 2019, nunca registou qualquer caso de transmissão comunitária com o novo coronavírus, começou a levantar algumas restrições fronteiriças com a China continental, mantendo a política de Pequim de proibir para já a entrada de visitantes estrangeiros.

A emissão de vistos turísticos para entrada em Macau é uma medida considerada essencial para revitalizar a economia na capital mundial do jogo que sofreu uma quebra sem precedentes a rondar os 90%, tanto na exploração dos casinos como no número de visitantes.

A MGM China apresentou perdas de mil milhões USD de Hong Kong (110 milhões de euros) no primeiro semestre de 2020.

Já a operadora do jogo Sands China só entre Abril e Junho registou prejuízos de 549 milhões USD (473 milhões de euros).

Com a imposição de restrições fronteiriças e com a suspensão dos vistos turísticos da China (o maior mercado turístico de jogo para Macau), as receitas totais dos casinos em Macau caíram 97% em Junho e mais de 77% no primeiro semestre, em relação a iguais períodos de 2019.

Três concessionárias (Sociedade de Jogos de Macau, Galaxy e Wynn) e três subconcessionárias (Venetian, MGM e Melco) exploram o jogo em Macau.