Europa cai em reacção a mais uma tensão comercial EUA-China

O principal índice bolsista português (PSI 20) ganha 0,24%, para 5.143,62 pontos, contrariando as principais praças europeias esta quinta-feira, 16 de maio, dia em que o Eurogrupo reúne para debater a economia da zona euro.

Lisboa /
16 Mai 2019 / 10:29 H.

A prejudicar as principais congéneres europeias está a reacção dos investidores a mais um obstáculo na já tensa relação comercial entre Estados Unidos e China. O presidente dos EUA, Donald Trump, declarou na quarta-feira estado de emergência nacional relativamente ao alegado risco das tentativas de roubo de tecnologia norte-americana. Com este estado de emergência, o Estado norte-americano poderá bloquear ou condicionar transacções comerciais que supostamente ameacem a propriedade intelectual ou obriguem à transferência de tecnologia.

Esta deverá ser mais uma forma de Washington evitar que empresas chinesas adquiram tecnológicas norte-americanas ou formem parcerias. A primeira grande afectada por esta medida será a Huawei que também já reagiu: um porta-voz da empresa disse que os Estados Unidos vão ficar para trás no desenvolvimento do 5G e que este tipo de proibições poderão levantar “questões legais graves”. “A Huawei é a líder incontestável no 5G. Estamos prontos e dispostos a envolver-nos com o governo dos EUA e a propor medidas eficazes para garantir a segurança do produto”, disse o porta-voz da empresa em declarações à CNBC.

Em Lisboa, a época de resultados prossegue no PSI 20. A Semapa lidera os ganhos depois ter divulgado um lucro trimestral de 39,7 milhões de euros, valor que representa um crescimento de 46,30% face ao período homólogo. O EBITDA foi de 132,6 milhões de euros. A empresa soma 1,99%, para 13,3 euros.

Os ganhos da Sonae Capital (1,63%), Mota-Engil (0,37%), EDP (0,95) e Galp (0,18%), também contribuem para colocar o PSi 20 “no verde”.