Estudo revela que só uma em dez pessoas sabe como funcionam as criptomoedas

O estudo “Uncharted territory: why consumers are still wary about adopting cryptocurrency”, realizado pela empresa de software de cibersegurança Kaspersky, revelou que a falta de conhecimento e confiança são os principais factores que impedem os consumidores de utilizar as criptomoedas.

25 Jun 2019 / 17:36 H.

Muitos dos consumidores ainda conhecem pouco acerca do funcionamento das criptomoedas e é este desconhecimento que faz com que elas não sejam adoptadas pelo público. Desta forma, quatro em cinco pessoas (81%) revelaram nunca ter adquirido moedas virtuais.

A análise da Kaspersky concluiu que existe uma grande vontade entre muitos dos consumidores para utilizarem as criptomoedas, mas esta falta de conhecimento está a dificultar todo o processo de adesão. Ainda assim, muitas das pessoas que pensavam que sabiam com o que estavam a lidar, mais tarde decidiram afastar-se das criptomoedas. Aliás, quase um quinto parou de utilizá-las por considerar que eram “tecnicamente complicadas”.

Contudo, a falta de conhecimento pode estar a gerar uma corrente de desconfiança face às criptomoedas e a afectar a capacidade dos consumidores em manter o seu dinheiro longe de perigo. Por exemplo, quase um terço (31%) dos inquiridos revelou que consideram que as criptomoedas são voláteis e que precisam de se tornar mais estáveis, antes de estarem preparados para as usarem.

Há, também, a percepção frequente entre os consumidores de que as criptomoedas não vão durar para sempre. Inclusive, um terço (35%) acredita que estas moedas estão apenas “na moda” e que não vale a pena preocuparem-se com elas.

Um quinto (20%) dos inquiridos afirmou que, apesar de não estar a usar, de momento, criptomoedas, gostaria de usá-las no futuro. No entanto, a dúvida ainda permanece entre os consumidores, sendo muitas vezes guiados pelo medo de colocarem em risco as suas finanças.