Comércio externo chines abranda em 2018

O ritmo de crescimento do comércio externo global da China desacelerou em 2018.

China /
14 Jan 2019 / 10:15 H.

Ao mesmo tempo, o excedente da balança comercial do país com os Estados Unidos aumentou para um novo máximo, apesar das disputas comerciais com Washington.

No conjunto, as exportações da China registaram um crescimento homólogo de 7,1%, para 2,5 biliões de dólares, depois de terem crescido 7,9%, em 2017. As importações avançaram 12,9%, para 2,1 biliões de dólares, após um aumento de 15,9%, no ano

O superavit do país com o resto do mundo fixou-se nos 352 mil milhões de dólares. O abrandamento na procura global por produtos chineses ocorre numa altura em que o Partido Comunista Chinês se depara com outros indicadores económicos negativos.

No terceiro trimestre de 2018, a segunda maior economia mundial cresceu 6,5%, o ritmo mais baixo dos últimos dez anos. Na totalidade do ano, as vendas de automóveis no país caíram 5,8%, para 22,35 milhões de veículos, no primeiro declínio anual desde 1990. No mês passado, a actividade da indústria manufactureira da China contraiu-se pela primeira vez, em 19 meses, enquanto em novembro, os lucros da indústria na China registaram a primeira queda homóloga, de 1,8%, desde dezembro de 2015, e as vendas a retalho, o principal indicador do consumo privado, recuaram para 8,1%, o ritmo mais lento desde maio de 2003.

Temas