Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Bancos pequenos são os que melhor prestam contas de 2020

BCH, BPG, Valor, VTB África e Standard Bank são as únicas instituições financeiras bancárias que já publicaram nos respectivos sites todas as peças integrantes do relatório e contas e obtiveram a pontuação máxima do “Ranking” do Mercado, deixando para trás o BAI, BFA e o BIC, os três maiores bancos.

Luanda /
31 Mai 2021 / 17:08 H.

Small is beautiful. A máxima assenta bem à prestação de contas por parte dos bancos que operam em Angola. Os cinco bancos que apresentaram as contas de 2020 mais completas estão entre os menores bancos por activos, de acordo com o ranking do Mercado elaborado com base nos dados do exercício económico do ano passado disponíveis nos sites oficiais das instituições.

No “Ranking do Mercado”, as instituições bancárias receberam pontos por cada peça integrante do relatório e contas que apresentaram. O Relatório de Gestão, o Balanço e a Demonstração de Resultados e a Demonstração de Fluxos de Caixa valem 1 ponto cada. Já o Parecer do Órgão de Fiscalização vale 2 pontos e as Notas do Balanço e da Demonstração de Resultados e o Relatório e Parecer do Auditor Independente valem 2,5 pontos cada.

Depois de apurada a pontuação de cada banco, são-lhe descontados 0,5 pontos por cada reserva apontada pelos auditores independentes.

Aplicados os critérios anteriores aos 21 bancos que têm publicadas contas nos sites oficiais, os bancos Comercial do Huambo (BCH), Prestígio (BPG), Banco Valor (BVB), VTB África (VTB) e o Standard Bank Angola (SBA) apresentam a melhor classificação, com 10 pontos cada.

Seguem-se, com 9,5 pontos, o Banco Angolano de Investimentos (BAI), o Banco Caixa Geral Angola (BCGA), o Banco de Poupança e Crédito (BPC) e o Finibanco Angola (FNB) que falharam a pontuação máxima por lhe terem sido descontados 0,5 pontos por terem apresentado uma reserva cada.

Com dois pontos, o Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA) foi a instituição com menor pontuação, por apresentar simplesmente o Balanço, a Demonstração de Resultados e a Demonstração de Fluxos de Caixa.

O Banco Económico lidera a lista dos piores prestadores de contas já que desde 2018 que não divulga os relatórios e contas. A última peça contabilística conhecida do ex-BESA é o balancete do terceiro trimestre de 2019. Os bancos Comercial Angolano (BCA), Comércio e Indústria (BCI) e Standard Chartered Angola (SCA) ainda não disponibilizaram as suas contas de 2020 nos respectivos sites.

Os bancos devem elaborar demonstrações financeiras, complementadas por notas explicativas às demonstrações financeiras, necessárias ao completo esclarecimento da posição financeira, do desempenho financeiro e dos fluxos de caixa das mesmas, à luz do nº 2 do artigo 5° do Aviso 5/2019 do BNA.

De acordo com o banco central, as demonstrações financeiras anuais devem estar disponíveis até o dia 30 de Abril do ano subsequente.

Constata-se que nove dos 21 bancos não apresentam relatório de gestão, oito não apresentam notas às demonstrações de resultados, um não apresentou as demonstrações de fluxo de caixa, um não apresenta o parecer do auditor independente e dois não apresentam o parecer do órgão do conselho fiscal.

Crowe lidera auditoria

A Crowe Angola lidera as auditorias às contas dos bancos comerciais no exercício de 2020, com uma quota de mercado de 30% entre os bancos que publicaram o relatório do auditor independente.

Dos 20 bancos que apresentaram o relatório do auditor independente, seis foram auditadas pela Crowe, à frente das chamadas “Big Four” - Deloitte & Touche, Ernst & Young (EY), Price Waterhouse Coorpers (PWC) e KPMG.

A Crowe, auditora de origem americana que está no mercado angolano desde 2010, auditou o BCH, BPC, Yetu, Banco de Investimento Rural (BIR), Banco Sol e o Banco Valor (BVB).

No segundo posto do ranking das auditoras dos bancos surgem duas das Big Four, a EY Angola e a PWC, com cinco bancos audita dos, o que representa uma quota de 24% do mercado, cada. A EY, sede em Londres, examinou as contas do BAI, BAI Micro Finanças (BMF), BCGA, Banco da China Limitada - sucursal em Luanda (BOCLB) e do FNB. Já a PWC, que também tem a sua sede em Londres, analisou as contas do Banco de Crédito do Sul (BCS), Banco de Fomento Angola (BFA), BPG, SBA e VTB África.

A Deloitte vem logo a seguir às três ao auditar dois bancos, o Millennium Atlântico (BMA) e o de Negócios Internacional (BNI). Enquanto que para a KPMG não houve qualquer registo.

A C&S Auditores e a Audiconta que passaram a pente fino o BIC e o Keve, respectivamente, completam as seis empresas que auditaram as contas dos bancos comerciais da praça Nacional.