Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Wall Street abre em alta à espera de novos dados sobre a indústria

Os mercados financeiros norte-americanos entraram em Outubro com o pé direito. “O mês, historicamente o mais volátil para o mercado de acções, ficará marcado pela retoma das negociações entre as duas maiores economias do mundo”, diz o analista Ramiro Loureiro.

01 Out 2019 / 16:24 H.

À semelhança do fecho desta segunda-feira, a Bolsa de Nova Iorque manteve a tendência otimista no início da sessão de hoje, 1 de outubro. Os investidores aguardam sobretudo a publicação de novos dados industriais, como o índice de gestores de compras do Institute for Supply Management (ISM), uma vez que podem sinalizar o estado da procura doméstica da maior economia do mundo, num contexto de abrandamento do crescimento a nível global.

Os principais índices de Wall Street iniciaram o dia (e o mês de outubro) com ganhos. O industrial Dow Jones está a somar 0,40%, para os 27.025,30 pontos, o financeiro S&P 500 está a ganhar 0,45%, para os 2.990,02 pontos, e o tecnológico Nasdaq está a avançar 0,70%, para os 8.055,27 pontos. Já o Russel 2000 está a ser marcado por uma subida de 0,72%, para os 8.055,27 pontos.

“O mês de outubro, que é historicamente o mais volátil para o mercado de acções, ficará marcado pela retoma das negociações entre as duas maiores economias do mundo agendadas para a próxima semana, um dos temas mais importantes na actualidade”, explica Ramiro Loureiro, trader do Millennium bcp.

“Entre as empresas de maior dimensão, destacamos a subida das acções da Philip Morris perante uma nota de que pode beneficiar da crise sobre os cigarros electrónicos a vapor. Já a McDonald’s ensaiava com uma descida de 1,5% depois do JP Morgan alertar para a possibilidade das vendas da maior cadeia de restaurantes do mundo desiludirem”, refere ainda o analista, em nota de mercado.

Em relação ao petróleo, a cotação do barril de Brent está a ganhar 1,23%, com valor de 59,98 dólares, enquanto a cotação do crude WTI sobe 1,04%, para 54,63 dólares por barril. Quanto ao mercado cambial, o euro deprecia 0,05% face ao dólar (1,0893) e a libra valoriza 0,30% perante a divisa dos Estados Unidos (1,3279).