Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Novo Banco diz que comprador de seguradora teve idoneidade verificada

O banco garantiu que “o preço final da transacção foi o melhor” possível, que o comprador “obteve idoneidade” verificada por parte do regulador, e que a venda foi feita com acordo do Fundo de Resolução.

Luanda /
10 Ago 2020 / 13:50 H.

Horas após ter sido noticiado que o Novo Banco vendeu em Outubro uma seguradora com desconto de quase 70% a fundos geridos pela Apax, a instituição financeira reagiu, negando os factos divulgados.

Em comunicado, o Novo Banco começou por explicar que “concretizou a venda da totalidade do capital social da GNB -Companhia de Seguros de Vida, S.A. (“GNB Vida”) à GBIG Portugal, S.A., uma sociedade totalmente detida por fundos geridos pela Apax Partners, LLP no dia 14 de Outubro de 2019, cumprindo o compromisso do Acordo Portugal/Comissão Europeia”, que obrigava a venda até ao ano passado.

Segundo diz o banco, o valor de venda ascendeu “a um preço fixo inicial de 123 milhões de euros acrescido de uma componente variável de até 125 milhões de euros indexada a objectivos de distribuição constantes do contrato entre o Novo Banco e a GNB Vida para distribuição de produtos de seguros vida em Portugal por um período de 20 anos”.

Sublinhando que o Novo Banco e a GNB desenvolveram uma “parceria de longo prazo com incentivos partilhados”, com este contrato, a instituição bancária esclareceu também que assim pode garantir “a distribuição de produtos de seguros vida da GNB Vida em Portugal na rede comercial do banco, assim como promover a inovação financeira e a melhoria do cross selling dos produtos de seguros vida”.

“O preço final da transacção foi o melhor e resultou de um processo organizado de venda, competitivo e transparente, com o acordo do Fundo de Resolução, em que o comprador obteve idoneidade por parte da ASF - Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões”, é declarado, por fim, na nota de esclarecimento enviada às redacções.

Recorde-se que o jornal Público noticia hoje que o Novo Banco vendeu em outubro uma seguradora com desconto de quase 70% a fundos geridos pela Apax, operação que gerou uma perda de 268,2 milhões que foi ‘compensada’ com verba do Fundo de Resolução.

Segundo o jornal, o negócio foi fechado com um magnata condenado por corrupção nos Estados Unidos.

O Público escreve ainda que a seguradora GNB Vida (agora designada Gama Life), “foi vendida em outubro de 2019, a fundos geridos pela Apax Partners, com um desconto de 68,5% face ao valor contabilístico inscrito no balanço de 30 de Junho daquele ano”.

A operação “gerou uma perda para a instituição financeira de 268,2 milhões de euros” e serviu para o presidente do Novo Banco, António Ramalho, “justificar novo pedido de injecção de dinheiros públicos”, explica.