Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Feira de Viana passa a ter periodicidade semestral

A Administração Municipal de Viana pretende realizar a Feira Agro-Industrial numa periodicidade semestral, uma decisão que resulta do balanço positivo da primeira edição, realizada em saudação ao Dia da Paz e da Reconciliação Nacional e encerrada na tarde de ontem.

Luanda /
05 Abr 2021 / 16:11 H.

A informação foi avançada ao Jornal de Angola pelo porta-voz da feira, Dorivaldo Adão, que disse ser o evento uma ocasião para haver uma maior interacção entre as empresas e a comunidade.

Dorivaldo Adão acentuou que a participação de 100 expositores na Feira Agro-Industrial reflecte o desejo da Administração Municipal de Viana de estar cada vez mais próxima da classe empresarial, reclamação já manifestada por alguns agentes económicos que defendem maior diálogo com as autoridades locais.

“Por esta razão, vamos trabalhar no sentido de as próximas edições serem realizadas semestralmente”, sublinhou Dorivaldo Adão, que disse terem visitado, nos três primeiros dias da feira, mais de 300 pessoas, número que poderia aumentar significativamente se a cidade de Luanda não tivesse recebido chuva no sábado à tarde.

Dorivaldo Adão lembrou que o município de Viana tem um número expressivo de jovens em idade economicamente activa, razão pela qual eventos como a Feira Agro-Industrial proporcionam maior proximidade com as empresas, representando iminentes oportunidades de emprego.

A primeira edição da Feira Agro-Industrial de Viana foi realizada com o objectivo de promover e desenvolver o potencial industrial do município.

A cerimónia de encerramento foi presidida pelo administrador municipal de Viana, Manuel Pimentel, que, na ocasião, apresentou o balanço dos quatro dias de realização do evento.

A feira foi realizada numa área de 15 mil metros quadrados e registou a participação, entre os 100 expositores, de uma empresa da província da Huíla, uma do Uíge e uma do Cuanza-Sul.

Os expositores representaram, na feira, os sectores do Comércio, Mobiliário, Construção Civil, Máquinas e Equipamentos, Prestação de Serviços, Indústria Transformadora, Educação e Formação Profissional, Restauração e Larvicultura.

Chuva inibe maior presença

Na tarde de sábado, penúltimo dia da Feira Agro-Industrial de Viana, devido à chuva que caiu sobre Luanda, poucas foram as pessoas que se fizeram presentes no pavilhão onde decorreu o evento, criado para promover e desenvolver o potencial industrial do município.

Até ao terceiro dia do evento, passaram pelo pavilhão mais de 300 visitantes, entre os quais pessoas com projectos de empreendedorismo, como é o caso de André Maria, que, em declarações à nossa reportagem, disse ter ficado “muito satisfeito” com o que viu e por ter encontrado empresas abertas a parcerias.

“Pretendo abrir um negócio, mas não tinha ideia de como começar, razão pela qual decidi fazer uma visita, tão logo soube do evento através dos órgãos de Comunicação Social”, explicou André Maria.

O potencial investidor ambiciona um negócio como fornecedor de produtos de higiene e de limpeza, pelo que contactou na feira várias empresas que actuam no ramo. “Se tudo correr bem, vou criar um negócio e, por esta via, ajudarei alguns jovens do meu bairro a conseguir o primeiro emprego”, adiantou André Maria.

Ao contrário de André Maria, a jovem Helga da Silva, de 26 anos, visitou a feira em busca do primeiro emprego, objectivo que procura alcançar desde que terminou o ensino médio.

Helga da Silva contou que, no Ensino Superior, deseja fazer o curso de Economia, pretensão que só quer materializar depois de entrar para o mercado de trabalho.