Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Taxa de desemprego em Angola abranda no segundo trimestre

Em termos trimestrais, observou-se uma diminuição de 0,6 pp face ao trimestre anterior (30,8%) e menos 82.511 desempregados.

Angola /
18 Ago 2022 / 16:06 H.

A taxa de desemprego fixou-se em 30,2% no segundo trimestre de 2022, o que representa uma redução de 1,5 pontos percentuais (pp), face ao período homólogo (31,6%), segundo dados do Inquérito ao Emprego em Angola, divulgado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Fazendo fé à informação do INE, instituição pública adstrita ao Ministério da Economia e Planeamento, houve menos 46 mil 682 desempregados no segundo trimestre de 2022, em relação ao mesmo período de 2021.

O índice de desemprego no País também reduziu em 0,6 pp no segundo trimestre de 2022, comparativamente ao primeiro, ao sair de 30,8% para 30,2%. O número de desempregado ficou em menos de 82 mil 511.

Na população jovem dos 15 aos 24 anos, também foi verificada a redução da taxa de desemprego que passou para 56,7%, que compara com 57,7% no período homólogo e 57,2% em termos trimestrais.

A população jovem desempregada aumentou neste período em mais 89.278 pessoas, reflectindo também o aumento da população economicamente activa em 4,8% face ao segundo trimestre de 2021.

A taxa de desemprego na área urbana (40,0%) é cerca de três vezes superior à da área rural (14,3%), com uma diferença de 25,7 pp.

Em Angola, a maioria das pessoas empregadas encontra-se no emprego informal (79,3%), das quais 70,4% entre homens e 88,0% entre mulheres.

No II trimestre de 2022, a maioria dos empregados no emprego informal foram trabalhadores por conta própria (49,5%), trabalhadores familiares (29,8%) e trabalhadores para o consumo próprio (12,2%).

A população desempregada com 15 ou mais anos foi estimada em 4,9 milhões de pessoas (3,1 milhões com idades entre os 15 e 24 anos).

No II trimestre de 2022, no universo da população em idade activa (pessoas com 15 ou mais anos de idade), 11,3 milhões declararam que trabalharam no período de referência num trabalho por conta de outrem, conta própria ou trabalharam num negócio familiar, durante pelo menos uma hora.

Mais da metade (53,2%) da população empregada está ligada à agricultura, produção animal, caça, floresta e pesca, seguindo-se o comércio por grosso e a retalho com 19,1%.