Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Produção industrial baixou 1,8% em 2020

A culpa recai para a produção e distribuição de electricidade e da indústria extractiva que fecharam o ano com uma redução de 18,4% e 12,1% respectivamente. O crescimento de 7,9% da indústria transformadora não foi suficiente para inverter a situação.

Angola /
26 Abr 2021 / 10:39 H.

A produção industrial em Angola baixou 1,8% no último trimestre de 2020 face a igual período de 2019, segundo dados do Índice de Produção Industrial (IPI) divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Na base do recuo está produção e distribuição de electricidade e o baixo desempenho da indústria extractiva que fecharam o ano com uma redução de 18,4% e 12,1% respectivamente.

A actividade extractiva, a mais importante do País, foi puxada para baixo pela extracção de petróleo que diminuiu 12% no quarto trimestre de 2020 em termos homólogos. A actividade petrolífera em 2020 foi fortemente afectada pela pandemia da COVID-19 e as medidas impostas para evitar a propagação do vírus. O sector tem enfrentado dificuldades para se estabilizar.

Diversificação

A indústria transformadora fez o caminho inverso ao subir 7,9% impulsionada pela fabricação de máquinas, equipamentos, aparelhos e automóveis que aumentou 16,9%; e pela fabricação de produtos petrolíferos, químicos e outros (9,2%).

O economista Wilson Chimoco defende que a indústria transformadora é determinante para a diversificação da economia no País. Acredita que poderá ser uma grande alavanca tanto para o incremento dos níveis de produtividade do sector agropecuário assim como na procura de serviços especializados, o que aumenta significativamente tanto os níveis de produtividade assim como a resiliência da própria economia.

O economista diz ainda que o único incentivo que o sector precisa é o acesso às matérias-primas. Garante que isso pode ser conseguido através de uma maior vontade política, que desbloqueie os lobbies das importações que retiram toda a competitividade à produção nacional.

“É importante que a taxa de câmbio se estabilize e se posicione como um verdadeiro instrumento de desenvolvimento industrial”, disse.

Relativamente ao emprego, no período em análise o número de pessoas ao serviço da indústria registou uma redução de 2,3%, quando comparado com o período homólogo de 2019. Por sua vez as horas trabalhadas apresentaram igualmente uma diminuição na ordem dos 10,9% face ao mesmo período de 2019.

Sobre o inquérito

O Índice de Produção Industrial (IPI): mede a evolução do valor acrescentado na indústria, em termos de volume de produção, num determinado período de tempo e espaço geográfico determinado.

O inquérito foi realizado em 398 estabelecimentos seleccionados a nível nacional com destaque para as províncias de Luanda, Bengo, Cabinda, Benguela, Huíla, Cuanza Norte, Cuanza Sul, Lunda Norte, Malanje, Uíge, Zaire, Huambo, Namibe e Bié. A província de Luanda, com 201, é a que mais estabelecimentos possui na amostra, representando cerca de 51% do total. Dos 398 estabelecimentos inquiridos, durante o período em análise, responderam 356, o que corresponde a uma taxa de resposta de 89%, considerada em termos estatísticos de boa cobertura. O IPI começou a ser calculado em 2010.