Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Pobreza, alterações climáticas e conflitos armados preocupam geração “Gen Z e os Millennials”

De acordo com o estudo da consultora norte-americana Deloite estas gerações consideraram o custo de vida como a principal preocupação pessoal, acima das alterações climáticas.

Luanda /
02 Dez 2022 / 12:07 H.

O custo de vida, as alterações climáticas, a desigualdade da riqueza, os conflitos geopolíticos e a pandemia da COVID-19, constituem as principais preocupações dos jovens em quase todo o mundo, revela um estudo da Deloitte.

A pesquisa da Deloitte denominada “Gen Z e os Millennials”, realizada em 46 países do mundo e divulgada recentemente, refere que as gerações se debatem, diariamente, com desafios como a ansiedade financeira, a falta de equilíbrio entre trabalho/rendimento e a vida pessoal, bem como com o impacto associado a níveis elevados de estress.

De acordo com este estudo, recentemente publicado, estas gerações consideraram o custo de vida como a principal preocupação pessoal, acima das alterações climáticas.

As preocupações associadas ao custo de vida poderão ser contextuais face ao aumento da inflação em diversos blocos económicos, mas ao longo dos 11 anos em que a Deloitte tem realizado este estudo, existem temas latentes que são assinalados anualmente, tais como: insegurança financeira, tanto a nível pessoal, como da sociedade onde se inserem, e uma profunda preocupação com a desigual distribuição de riqueza.

Cerca de 1/4 dos inquiridos não consegue fazer face às suas despesas mensais de forma confortável, assim como muitos estão a optar por um segundo emprego, ou a adoptar opções de trabalho remoto, mudando-se para cidades (ou mesmo países) com menor custo de vida e melhor inserção social.

“A remuneração, a preocupação com a saúde mental, o equilíbrio familiar e o esgotamento, constituem as principais razões que levaram os inquiridos a mudarem de emprego nos últimos dois anos. O equilíbrio da vida pessoal e a formação e desenvolvimento individual, foram considerados os factores prioritários na escolha de um novo emprego”, aponta o estudo.

As alterações climáticas continuam a ser uma preocupação crescente dos “Gen Zs e Millenials”, revela a pesquisa, acrescentando que 3/4 dos inquiridos consideram que o mundo está num momento decisivo de viragem, enquanto 2/3 indicaram que já foram pessoalmente impactados por eventos climáticos, enfatizando a urgência desta questão.

Depois de um decréscimo económico, entre 2015 e 2020, apenas em 2021 e 2022 é que Angola, por exemplo, apresentou perspectivas de crescimento. Este contexto, segundo a Deloitte, poderá ter arrefecido a competitividade no mercado laboral mas, sabendo-se que os “Gen Z e Millennials” representam 32% da população, muitas das preocupações referidas no estudo são comuns aos jovens nacionais, em particular o escalar do custo de vida face à generalidade dos salários.

“É importante que os dirigentes e gestores continuem atentos a estas tendências geracionais, tudo para que possam antecipar e actuar de forma efectiva nas suas políticas e modelos de capital humano, adaptando-os à sua realidade de negócio ou de actividade, de modo a responder a estes desafios e optimizar a captação de valor para a sua organização e para o país”, recomenda a pesquisa.