Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Petróleo financia recuperação económica prevista para 2022

O Governo projecta um crescimento de 2, 4% da economia nacional, com o sector petrolífero a contribuir 1, 6% e o não petrolífero 3,0%. Para a produção de diamantes, o Executivo espera uma expansão de 10%, para se situar em torno dos 10 milhões de quilates, além de desempenhos positivos nos sectores da Agricultura e pesca, com um crescimento de 4,0%, Transportes (2,0%), Comércio (3,0%) e a Indústria (4, 5%).

Angola /
14 Jan 2022 / 09:26 H.

O Governo conta com a entrada em operação de novos projectos petrolíferos, este ano, quando se espera que o sector registe um crescimento de 1,6%, para financiar a recuperação da actividade económica do País, declarou ontem, em Luanda, o secretário de Estado para o Planeamento, ao descrever aspectos da estratégia institucional para manter as metas macroeconómicas adoptadas com o Orçamento Geral do Estado, noticiou o Jornal de Angola .

“O sector petrolífero deverá dar-nos os recursos financeiros para continuar a financiar os demais sectores, na medida em que o crescimento esperado de 1, 6% permite-nos esperar que venhamos ter uma produção média, em 2022, de 1 148 000 barris por dia”, disse Milton Reis num “briefing” com representantes da imprensa.

O secretário de Estado atribuiu a retoma do crescimento do sector petrolífero a actividades de perfuração de novos campos produtores no Bloco 0, com a entrada em fase de produção de novos poços, o início da campanha da perfuração de poços para desenvolvimento no Bloco 15 e a produção nos campos do Cuíca e Dungo, no bloco 15-06.

De acordo com o responsável, há, ainda, a perspectiva da entrada em produção da fase 2 do Campo Agogo no Bloco 15-06, actividades de perfuração de poços nos blocos 17 e 31, a entrada em produção do Campo Platina, no Bloco 18, assim como a primeira fase de produção do projecto Caril OPAP, no Bloco 32.

Milton Reis lembrou que a evolução esperada do Produto Interno Bruto (PIB), em 2022, é a de um crescimento global de 2, 4%, com o sector petrolífero a contribuir 1, 6% e o não petrolífero 3,0%.

Nessa acepção, o Governo projecta um crescimento da produção de diamantes de cerca de 10%, para se situar em torno dos 10 milhões de quilates, além de desempenhos positivos nos sectores da Agricultura, com uma expansão de 4,0%, Pescas (idem), Transportes (2,0%), Comércio (3,0%) e a Indústria (4, 5%).