Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Ordem dos Economistas debate “Desafios e Oportunidades da Indústria do Sal”

Angola regista um défice na produção de sal, na ordem das 54 mil toneladas, facto que leva o país a importar este produto. A falta de qualidade, o fraco apoio aos produtores e o alto preço, são apontados como alguns dos muitos problemas que a indústria do sal enfrenta.

Luanda /
13 Out 2021 / 18:01 H.

A Ordem dos Economistas de Angola (OEA), em parceria com a Faculdade de Economia da Universidade Agostinho Neto, realiza nesta quinta-feira, uma Mesa Redonda sobre “Desafios e Oportunidades da Indústria do Sal em Angola”, informa a instituição em comunicado.

“O evento visa promover, estimular reflexões e obter contribuições, sobre o estado actual da indústria do Sal em Angola. Pretende-se com isso, definir propostas, políticas e programas públicos e privados, que apontem caminhos sustentáveis para o crescimento e desenvolvimento do sector, através da atracção de financiamento e investimentos privado interno e externo para a indústria salineira em Angola”, lê-se no documento.

Angola regista um défice na produção de sal, na ordem das 54 mil toneladas, facto que leva o País a importar este produto. A falta de qualidade, o fraco apoio aos produtores e o alto preço, são apontados como alguns dos muitos problemas que a indústria do sal enfrenta.

O Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN 2018-2022), estima em 40%, o aumento da produção do sal, comparativamente ao período 2017. Para o efeito, foram definidas acções com vista o alcance das metas, nomeadamente, o incentivo para criação de novas Micro, Pequenas e Médias Empresas (MPME) do Sal.

O fórum estará dividido em quatro painéis onde serão abordados temas como: A Importância Económica do Sal; a Contextualização da Indústria Salineira em Angola; a Geolocalização das Jazidas e Indústria do Sal em Angola e a Cadeia de Valor na Indústria do Sal.

A ministra das Finanças, Vera Daves fará o encerramento do encontro, enquanto que a aberta está a cargo de Maria de Lourdes Bravo, Bastonária da ordem.

O evento vai decorrer a partir das 9 horas, no Anfiteatro Afonso Van-Dúnem “MBinda”, Edifício Kilamba, sito na Avenida 4 de Fevereiro, Marginal, e contará com a participação de empresários do sector salineiro e de outros que compõe o seu ecossistema, representantes de instituições públicas e privadas, associações empresariais, bancos e fundos de investimento.

A OEA é uma Instituição reguladora do Exercício das actividades profissionais e dos princípios e normas deontológicas dos economistas, representativa dos interesses da classe e dos profissionais do ramo da economia em Angola, constituída em Março de 2018.