Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Ministros europeus vão reunir-se para discutir bloqueio russo aos cereais

O encontro acontece numa altura em que a União Europeia tem vindo a apoiar os esforços da Organização das Nações Unidas (ONU) para intermediar um acordo com o objectivo de retomar as exportações marítimas da Ucrânia

Luanda /
20 Jun 2022 / 11:43 H.

Os Ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia discutem hoje, numa reunião a decorrer em Luxemburgo, as formas de libertar os milhões de toneladas de cereais retidos na Ucrânia devido ao bloqueio dos portos no Mar Negro, noticiou o The Guardian.

Segundo o The Guardian, a Ucrânia é um dos principais fornecedores de trigo a nível mundial, embora os seus carregamentos de cereais tenham estagnado e mais de 20 milhões de toneladas tenham ficado retidas em silos desde que a Rússia invadiu o país e bloqueou os seus portos.

Isto acontece numa altura em que a União Europeia tem vindo a apoiar os esforços da Organização das Nações Unidas (ONU) para intermediar um acordo com o objectivo de retomar as exportações marítimas da Ucrânia. Em troca, a entidade promete facilitar as exportações russas de alimentos e fertilizantes embora tudo isto necessite da ‘luz verde’ de Moscovo.

A Turquia, que tem mostrado ser capaz de manter boas relações com ambas as partes Kiev e Moscovo disse ainda estar pronta para assumir um “mecanismo de observação” baseado em Istambul, caso este acordo venha mesmo a existir.

Por outro lado, não ficou ainda claro se a União Europeia estaria disposta a envolver-se de forma a assegurar militarmente um pacto dessa natureza. “Se no futuro haverá necessidade de escoltar estes navios comerciais, isso é um ponto de interrogação e penso que ainda não estamos lá”, respondeu, a este propósito, um funcionário do bloco europeu, aqui citado pela Reuters.

Com o bloqueio do Mar Negro aos navios ucranianos, a Rússia está a impedir as exportações a partir dos portos da Ucrânia, país que é um dos maiores produtores mundiais de cereais, o que está a provocar receios de uma crise alimentar global.