Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Inflação dos nove primeiros meses em máximo de dois anos

A inflação acumulada até Setembro do ano corrente situou-se nos 18%, sendo necessário recuar até 2017 para encontrar um registo tão elevado. A manter-se este ritmo a meta de 25% estabelecida pelo Governo deverá ser cumprida com uma ligeira folga.

Angola /
16 Out 2020 / 12:49 H.

O custo de vida em Angola aumentou 18% nos primeiros nove meses de 2020, máximo de dois anos, de acordo com o Índice de Preços no Consumidor (IPC) recentemente divulgado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Em termos mensais, os preços aumentaram 1,8% tal como no mês anterior, enquanto a inflação anual acelerou para 23,8%, o maior registo desde Novembro de 2017.

O Governo prevê para 2020 uma inflação anual de 25%. A manter-se o ritmo dos primeiros nove meses do ano, o ano poderá fechar ligeiramente abaixo da meta estabelecida.

Das 12 classes que compõem o cabaz de bens que serve de base ao cálculo do Índice de Preços no Consumidor (IPC), a classe de Lazer, Recreação e Cultura, com 3,3%, foi a que registou o maior aumento mensal de preços, seguindo-se Bens e Serviços Diversos, com 2,3%, e Alimentação e Bebidas não Alcoólicas, com 2%.

Por sua vez, a Educação, com 0,0%, foi a classe que menos encareceu em Setembro, seguindo-se as classes das Comunicações, com 0,2%, e da Habitação, Água, Electricidade e Combustíveis, com

0,7%.

As províncias que registaram maior aumento de preços em Setembro foram: Lunda Norte, com 2,1%, Luanda, com 1,9%, Cuando Cubango, com 1,9%. Por outro lado, as províncias com menor variação do IPC foram: Cunene, com 1,3%, Lunda Sul, com 1,3%, e Benguela, com 1,4%. Luanda o principal centro de consumo do País viu seus preços aumentarem 1,9% em Setembro face a Agosto.