Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

FMI revê em baixa crescimento económico de Macau

Em Setembro, a indústria do jogo do país asiático registou o segundo pior resultado do ano, com os impactos das medidas epidémicas impostas pelo Governo a fazerem-se sentir de imediato, após terem sido registados cerca de uma dezena de casos no território.

Luanda /
13 Out 2021 / 10:13 H.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) reviu esta terça-feira em baixa as previsões para o crescimento económico de Macau em 2021, passando agora para 20,4%, quando em Abril antecipava 61,2%, noticiou a Lusa.

Em Abril, quando o FMI fez a primeira previsão para 2021, a maioria dos dados oficiais e as expectativas governamentais apontavam para um crescimento gradual do turismo no território e subsequentemente para o crescimento das receitas dos casinos na capital mundial do jogo, praticamente o único motor da economia de Macau.

Contudo, o turismo e os gastos em jogo parecem demorar a subir.

Em Setembro, por exemplo, a indústria do jogo em Macau registou o segundo pior resultado do ano, com os impactos das medidas epidémicas impostas pelo Governo a fazerem-se sentir de imediato, após terem sido registados cerca de uma dezena de casos no território.

A entrada em Macau, de fora da China continental, só não está vedada a residentes, e, mesmo esses, têm de fazer pelo menos 21 dias de quarentena obrigatória dentro de um quarto de hotel, mesmo que estejam vacinados e apresentem teste com resultado negativo.

O FMI, de acordo com o documento divulgado na terça-feira, prevê agora que em 2022 o crescimento seja de 37,6%, quando em Abril previa um crescimento substancial de 43%.

Segundo o FMI, em 2020 a economia do território caiu 56,3%, depois de uma quebra do número de visitantes devido às restrições fronteiriças, que se traduziu na redução significativa das receitas do jogo: os casinos em Macau terminaram 2020 com receitas de 60,4 mil milhões de patacas (6,4 mil milhões de euros), menos 79,3% em relação a 2019.