FED e BNA negoceiam o regresso dos correspondentes bancários americanos

Uma delegação de alto nível da Reserva Federal (Fed) dos Estados Unidos chega este mês a Luanda, para um encontro com o governador do Banco Nacional de Angola (BNA), para abordar assuntos relativos à recuperação da moeda norte-americana nas operações bancárias.

Angola /
13 Jun 2019 / 13:43 H.

Segundo o governador do Banco Central, José de Lima Massano, as discussões com os representantes da Reserva Federal visam também estreitar as relações entre as duas instituições para viabilizar o intercâmbio entre os dois países.

“Queremos, com este encontro, manter um diálogo permanente que facilite executar as operações monetárias que foram terminadas com alguns bancos” internacionais, revelou o governador do BNA, citado pelo Jornal de Angola, numa referência às relações com os bancos correspondentes interrompidas em 2016, agravando a crise cambial que o país vive desde 2014.

Em relação às reservas internacionais, divididas em três categorias, designadamente recursos do Banco Central, recursos do Tesouro e recursos dos bancos comerciais, que estão à aguarda do BNA, Lima Massano afirmou que as reservar têm como fonte principal o sector petrolífero, frisando que qualquer abrandamento da produção e redução de preço tem um impacto sobre as reservas.

Explicou que a componente que mais afecta o desempenho das reservas é a fiscal, uma vez que, para o exercício fiscal, o tesouro faz recurso às suas reservas que tem no BNA, para que a despesa pública e outras despesas possam ser honradas.