BNA garante salários de funcionários dos bancos Mais e Postal

Como “fiel depositário”, o Banco Nacional de Angola (BNA) vai garantir os salários dos trabalhadores dos dois bancos cuja licenças foram revogadas.

Luanda /
14 Jan 2019 / 14:57 H.

O BNA vai pagar os salários dos funcionários dos bancos Mais e Postal, que viram as suas licenças revogadas no início do mês, revelou à Rádio Nacional de Angola o sub-director de Regulação e Supervisão do Sistema Financeiro do banco central, Cândido Pina.

“Como fiel depositário, o BNA vai garantir os salários dos trabalhadores dos dois bancos”, adiantou Cândido Pina, apesar de ter sublinhado que a questão de manutenção dos postos de trabalho é um problema “que não está na alçada do BNA”.

Até ao final de 2017, o Banco Postal tinha 488 colabores e o Banco Mais empregava 44 pessoas, de acordo com os relatórios e contas publicados nos sites das instituições. Não há ainda dados de 2018.

Devolução dos depósitos começa hoje

Entretanto, os clientes dos Banco Mais e do Banco Postal poderão, através da Rede Multicaixa, levantar os seus fundos depositados nos instituições ou transferi-los para outros bancos à sua escolha nos dias 14, 15, 16 e 17 de Janeiro de 2019, informou sexta-feira o BNA, em comunicado.

A decisão do banco central surge “na sequência das Providências Cautelares Não Especificadas, interpostas pela Procuradoria Geral da República, com vista a acautelar os interesses dos depositantes do Banco Mais, S.A. e do Banco Postal, S.A., em função da revogação pelo BNA da licença dos referidos bancos”, lê-se no documento.

O comunicado esclarece que “o Tribunal Provincial de Luanda, ao dar provimento às providências cautelares mencionadas, nomeou o Banco Nacional de Angola como Fiel Depositário, incumbindo-o, entre outras, da responsabilidade de acautelar os interesses dos depositantes”.

Este processo de devolução e/ou transferência dos depósitos dos clientes prosseguirá até ao dia 31 de Janeiro de 2019, pelo que se “recomenda a todos os clientes que mantenham a serenidade e que se dirijam normalmente aos locais acima mencionados”.

Quanto aos clientes que têm créditos, o responsável do banco central explicou que não será feira a devolução dos depósitos “enquanto não for nomeado o gestor da massa falida”.

As licenças das duas instituições bancárias foram revogadas no passado dia 2 de Janeiro, numa reunião ordinária do conselho de administração do BNA, pelo facto de os seus promotores ou accionistas não terem demonstrado capacidade financeira para aumentar o capital dos bancos até 7,5 mil milhões Kz, o mínimo obrigatório desde 1 de Janeiro deste ano.