Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Bankinter Portugal com resultados positivos

O Bankinter Portugal apresenta resultados antes de impostos de 22 milhões de euros, um crescimento de 16%.

25 Abr 2019 / 11:43 H.

O banco não avança os resultados líquidos da sucursal em Portugal, mas normalmente a taxa de imposto paga em Portugal ronda os 20%.

Da mesma forma, tanto o crédito como os recursos captados na sucursal cresceram 12%, alcançando 5.600 e 4.300 milhões de euros, respectivamente.

O Bankinter Espanha diz que todas as linhas de negócio (incluindo Portugal) estão apoiadas numa base de Clientes maioritariamente digital: 92,7% destes Clientes relacionam-se com o banco via telemóvel, PC ou tablet, e 66% recorre à assinatura digital para diversas operações.

O Bankinter em Espanha termina o primeiro trimestre com 145 milhões de euros de resultado líquido, mais 1,4%, com crescimento em todas as linhas de negócio. Os resultados antes de impostos foram de 198,6 milhões de euros.

O banco destaca o “forte crescimento nos recursos de Clientes (+10%)e na carteira de crédito (+5%) em Espanha, que mostram que o Bankinter tem melhor comportamento do que a media do sector”.

A margem de juros atinge um total de 275,4 milhões de euros, o que representa mais 1,3% que a mesma rubrica em 2018, num cenário de taxas de juro que se mantém inalterado “em níveis que dificultam o negócio bancário”, diz o comunicado.

A margem bruta atinge os 505,4 milhões de euros, o que significa mais 1%, com receitas líquidas provenientes de comissões de 114 milhões no ano, que crescem 5,1% e representam 23% do total desta margem.

Já a margem de exploração fechou, a 31 de março, em 254,3 milhões de euros, mais 1,8% que há um ano, com os custos operativos a manterem-se semelhantes ao primeiro trimestre de 2018, o que leva a uma melhoria do rácio de eficiência da actividade bancária com amortizações, que passa de 46,6%, há um ano, para 46,5%, devido a maiores receitas.

No que se refere ao balanço do Bankinter, os activos totais do Grupo ascendem, a 31 de março, a 78.287,2 milhões de euros, mais 9,8% do que no primeiro trimestre de 2018.

O total de crédito a Clientes ascende a 55.801,4 milhões de euros, mais 5,4% do que o valor de há um ano. Em Espanha, a carteira de crédito ascende a 50.200 milhões de euros, face aos 48.000 milhões de há um ano, “um crescimento de 5% numa altura em que o sector voltou a reduzir a sua carteira em 2,1%, de acordo com dados de fevereiro do Banco de Espanha”.