Associações beneficiam de USD 3 milhões facilitados pela ADRA

Os referidos projectos, ligados ao apoio agrícola, cidadania, beneficiaram mais 54 mil famílias, onde 60 % são mulheres rurais.

Angola /
07 Dez 2018 / 10:42 H.

Durante a conferência Nacional sobre os Direitos da Mulher Rural e Desenvolvimento com o tema “Garantia dos Direitos da Mulher Rural: um factor de desenvolvimento sustentável”, MariaTeresa Victória referiu ser necessária a conjugação de esforços entre todos os actores estatais e não estatais, para que as políticas públicas a favor da mulher sejam realmente exequíveis e contribuam no fortalecimento da capacidade de defesa dos seus direitos e à prática do exercício da cidadania.

Já a secretária de Estado da Acção Social, Família e Promoção da Mulher, Ruth Mixinge, realçou a importância da mulher no desenvolvimento do sector agrícola.

Salientou que o Ministério, no âmbito das suas atribuições, além de outros projectos, desenvolve o projecto de empoderamento da mulher, onde trabalham com a mulher rural na perspectiva de incentiva-las cada vez mais a criar as associações, cooperativas agrícolas, “bem como transmitir a mulher que ela também é capaz de líder”.

~

A representante das mulheres rurais solicita o envolvimento de mulheres rurais aquando da elaboração dos programas públicos, para que elas possam contribuir.

O evento visa analisar questões relativas às políticas públicas de promoção da justiça, equidade e igualdade de género no país, sendo uma oportunidade para analisar as diferentes formas de participação da mulher nos processos de desenvolvimento e divulgar as iniciativas promovidas pelas associações e cooperativas no âmbito da intervenção da ADRA.

O evento está alinhado com os valores, princípios e abordagens metodológicas da organização e com a necessidade de construção de processos equitativos que favoreçam o desenvolvimento integral dos cidadãos.

Com este evento, a ADRA procura contribuir para uma maior inclusão política, social e económica através do alargamento da participação democrática e da influência sobre as políticas públicas de combate à pobreza e de desenvolvimento sustentável para Angola.