Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Angola participa nas reuniões anuais do Banco Mundial e FMI

Angola leva, nos referidos eventos, a agenda da diversificação da economia, bem como todos os projectos levados a cabo pelo Executivo, a fim de persuadir estas instituições de “Bretton Woods” a financiar projectos de infra-estruturas, assim como os programas âncora do Governo e do sector privado.

Luanda /
11 Out 2022 / 09:34 H.

Uma delegação angolana, encabeçada pela ministra das Finanças, Vera Daves, representa o País nas reuniões anuais do Banco Mundial (BM) e Fundo Monetário Internacional (FMI), iniciadas na segunda-feira, em Washington (EUA).

Nas reuniões, além da ministra das Finanças, estão presentes o ministro da Economia e Planeamento, Mário Caetano João, e o governador do Banco Nacional de Angola (BNA), José de Lima Massano.

Angola leva, nos referidos eventos, a agenda da diversificação da economia, bem como todos os projectos levados a cabo pelo Executivo, a fim de persuadir estas instituições de “Bretton Woods” a financiar projectos de infra-estruturas, assim como os programas âncora do Governo e do sector privado.

Nos eventos, em se incluem fóruns empresariais, o país vai apresentar um conjunto de reformas em curso e planos que estão a ser implementados para assegurar a tão almejada diversificação da economia, que passa pelo fomento da produção nacional, melhoria do ambiente de negócios e desenvolvimento do capital humano.

Entre as diferentes reuniões, há a destacar os encontros estatutários como as reuniões do Comité de Desenvolvimento e Comité do FMI e as Ministeriais das Constituências do FMI e BM, a que Angola pertence.

Por outro lado, terão também lugar reuniões complementares de alto nível, nomeadamente a mesa redonda subordinada ao tema “Construir resiliência e fechando as lacunas no acesso e uso de fertilizantes em África” e a “Reunião do grupo de trabalho sobre a arquitectura financeira global”.

De 10 a 16 do mês em curso, serão discutidos uma série de assuntos que apontam a direcção para qual o mundo deverá seguir, face aos actuais desafios e oportunidades da pós-pandemia da COVID-19.