Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Alemanha quer Angola no mapa mundial do hidrogénio verde

“Queremos colocar Angola no mapa mundial do hidrogénio verde, sendo o nosso objectivo e a nossa meta”, augura Vandré Spellmeier, delegado da Economia Alemã em Angola (AHK) e chefe do Gabinete Alemão-Angolano de Hidrogénio – H2 Diplo.

Luanda /
13 Mai 2022 / 10:16 H.

O governo da Alemanha quer colocar Angola no mapa mundial do hidrogénio verde e energias renováveis, no quadro da estratégia da transição energética.

O apoio prevê ser concretizado com a operacionalização do programa de Diplomacia Global do Hidrógenio, conhecido, actualmente, como “H2 Diplo”, uma iniciativa do Ministério Federal Alemão das Relações Exteriores, que já conta com seis gabinetes de Hidrogénio instalados no mundo.

A Alemanha, através da sua Delegação de Economia em Angola, quer mostrar aos investidores internacionais o seu potencial neste segmento ainda não explorado, com uma matriz energética actual de 62% de energias limpas.

“Queremos colocar Angola no mapa mundial do hidrogénio verde, sendo o nosso objectivo e a nossa meta”, augura Vandré Spellmeier, delegado da Economia Alemã em Angola (AHK) e chefe do Gabinete Alemão-Angolano de Hidrogénio – H2 Diplo.

Vandré Spellmeier apresentou, ontem, o Gabinete Alemão-Angolano de Hidrogénio –H2 Diplo, no Primeiro Simpósio sobre Hidrogénio Verde Alemanha/Angola, um evento que contou com altos funcionários dos dois governos.

“Precisamos de realizar mais eventos como este e outros, nos próximos meses, com o objectivo de mostrarmos aos investidores estrangeiros que Angola merece estar neste mapa mundial”, reiterou.

À semelhança de outros países, Angola já sinalizou que está a trabalhar na sua estratégia de energias renováveis e, com o H2 Diplo, a Alemanha propõe-se apoiar o Governo na definição do plano para o seu ambiente.