Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Orquestra Camerata de Luanda regressa como figura de cartaz do Show do Mês

A “Orquestra Camerata de Luanda” tem trabalhado para o engrandecimento da cultura nacional.

Luanda /
26 Set 2022 / 12:44 H.

O grupo musical “Orquestra Camerata de Luanda” actua nos dias 30 de Setembro a 1 de Outubro, a partir das 21h00, na Casa das Artes, em Talatona, em mais uma edição do Show do Mês.

Numa entrevista exclusiva ao Mercado, o Director-geral e Maestro do grupo Orquestra Camerata de Luanda, Félix da Costa, diz que a relação com a energia do “Show do Mês” radica entre 2013 a 2014.

“Já fizemos show de live, com uma outra Orquestra, agora regressamos como figura de cartaz, expressaremos aquilo que nós mais sabemos fazer, a música”, afirmou.

Para o concerto do mês está preparado um reportório com 20 músicas, das quais 98% clássicos nacionais, com músicos convidados, com destaque para Dom Caetano.

“É um dos ícones que eu muito respeito e tenho como referência”, diz apontando Heróide dos Prazeres como uma das prováveis presenças.

Se Heróide dos Prazeres é ainda uma incógnita, o mesmo não se pode dizer da cantora lírica Melvire Lumbungungululo . “Ela é convidada de honra”, revelou.

O projecto que existe desde 2017, é uma iniciativa de Félix dos Santos tendo-se juntado depois a um colega, o Cristiano Quizembe. “Os demais se reviram no projecto e fizeram parte do mesmo. Hoje somos todos sócios e fundadores”, referiu.

A criação do projecto não contou com nenhum valor monetário, mas o investimento consistiu no conhecimento.

“Quem tem arte tem força de vontade e caminha”, ressaltou, sublinhando que “começamos a estudar a música dentro dos padrões clássicos internacionais, Beethoven, Mozart , Bach, todos eles com a Orquestra Camerata”.

Formada por jovens angolanos, a Orquestra tem as ambições e missões muito bem definidas, pelo que os seus membros decidiram não se focarem somente em clássicos internacionais, mas sobretudo no angolano e por esta via, internacionalizar aquilo que chamou de “nosso clássico”.

O também Maestro expressou a dado momento o principal objectivo da Orquestra Camerata - colocar o nome de Angola no mais alto nível no que concerne às Orquestras.

“A nível internacional nós temos um certo destaque, por que tocamos músicas africanas com conhecimento clássico, instrumentos que usam para música de Beethoven, Bach. Nós estamos a tocar Filipe Mukenga, Waldemar Bastos e agora também Carlos Burity, ícones da nossa praça”, enfatizou.

Constituído por 20 membros, a Orquestra Camerata de Luanda tem trabalhado para o engrandecimento da cultural nacional, propriamente de Luanda.

“Nós temos um projecto que é Camerata no seu bairro, nós vamos na comunidade e tocamos. É um projecto que futuramente será muito abrangente”, garantiu.

Sabe-se, no entanto, que o Memorial Dr. António Agostinho Neto é um dos principais parceiros da Orquestra Camerata de Luanda, passando agora o grupo a fazer parte do projecto “Angola-Filarmónica” junto com Maestro Oliveth, embaixador Mayer Labrador, que tem feito um grande esforço para que a cultura angolana seja notável no exterior do país.

O grupo, segundo o nosso entrevistado, pretende abrir uma academia de música denominada “Camerata de Luanda” para fazer da Orquestra a melhor de África.

Actualmente o grupo não conta com nenhum patrocínio, tendo feito parte no passado da produtora Clé Entertainment .

Terminado o contrato com a Clé Entertainment, permanece a amizade entre as partes pois quando possível participam das actividades organizadas pela referida produtora.

A Orquestra, de acordo com o Maestro Félix da Costa dificilmente realiza actividades devido a falta de recursos financeiros e patrocinadores.

Por este motivo nunca tivemos o privilégio de participar presencialmente em concertos internacionais, aliás, a maior parte das actividades são realizados por meios próprios”, lamentou.