Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Descendentes dos primeiros escravos angolanos de volta as origens

“É gratificante a calorosa recepção que o povo angolano tem feito, somos recebidos como família e a maneira que o País está abraçar a nossa história e chegada, são hospitaleiros”.

Luanda /
03 Out 2022 / 12:29 H.

Os três membros da família Tucker, descendentes dos primeiros escravos angolanos a chegarem ao território dos Estados Unidos da América (EUA), nomeadamente Wanda Tucker, Carolita Jones e Vincent Tucker estão de volta as origens, em Angola.

Em entrevista ao Mercado, a família disse que deseja continuar a construir uma relação com o País, em espírito e em conhecimento, gastronomia, bem como enriquecer história como afro-descendentes, pelo que esperam aprender mais sobre suas origens, não só sobre o comércio de escravos, mas sobre a herança imaterial deste legado, construir pontes para desenvolver, nos dois continentes mais conhecimento e compreensão. Uma narrativa mais equilibrada, uma verdade que ainda não foi contada.

Os membros da família Tucker pretendem começar a turnê pela província de Malanje, visitar as Pedras Negras de Pungo a Ndongo, as Quedas de Calandula consideradas por eles, o cartão postal do País, para além da comuna de “Massangano”, na província do Cuanza Norte, acompanhados de professores, pesquisadores historiadores e pessoas vinculadas a família.

“É gratificante a calorosa recepção que o povo angolano tem feito, somos recebidos como família e a maneira que o País está abraçar a nossa história e chegada, são hospitaleiros”, diz a família Tucker.

A primeira visita da família ao país aconteceu depois de os mesmos terem mantido um encontro com o Presidente João Lourenço e a Primeira-Dama, Ana Dias Lourenço, em Washington, em Setembro de 2021, no museu nacional de história e cultura afro-americana.

Os Tucker seriam os descendentes de Anthony e Isabel que chegaram à Virgínia em Agosto de 1619 a bordo de um navio português para trabalharem na plantação do capitão William Tucker. Estes tiveram um filho nascido em 1624 a que chamaram de William e foi baptizado com o mesmo nome do capitão para o qual os seus pais trabalhavam. Ou seja, tecnicamente é o primeiro afro-americano nascido nas terras norte-americanas.