Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Atelier Entretons Hurbanos promove exposição “Phatos”

A exposição visa dar visibilidade as pessoas marginalizadas e esquecidas pela sociedade, um acto enquadrado nas celebrações do “Dia Mundial do Habitat”, decretado pelas Nações Unidas.

Luanda /
17 Out 2022 / 08:44 H.

O centro comercial “Shopping Fortaleza” acolhe até ao dia 31 de Outubro a exposição fotográfica colectiva “Pathos”, promovida pela Entretons Hurbanos.

A exposição visa dar visibilidade as pessoas marginalizadas e esquecidas pela sociedade, um acto enquadrado nas celebrações do “Dia Mundial do Habitat”, decretado pelas Nações Unidas.

O tema deste ano do Dia Mundial do Habitat foi “reduzir a desigualdade social”, uma reflexão sobre pessoas que vivem em situação de vulnerabilidade que não são vistas pela sociedade, incluindo o estado das cidades, sem deixar ninguém e nenhum lugar de fora.

Em entrevista exclusiva ao Mercado, Edla Galiano, sócia e directora de comunicação do Atelier de Urbanismo, “Entretons Hurbanos” diz que “Pathos” é uma palavra grega que significa, sofrimento, paixão, afecto e é também um tipo de experiência humana ou representação em arte, que evoca dor, compaixão ou uma simpatia compassiva no espectador ou leitor.

Segundo Edla Galiano, a exposição foi composta por 11 fotógrafos e 42 fotografias de diferentes contextos e zona que retractam o cenário de desigualdade social, histórias de vida das pessoas da cidade de Luanda.

As imagens foram feitas nos bairros da Coreia, Povoado, Corimba, Ilha de Luanda, Chicala, Congoleses, Rocha Pinto e outras periferias da capital.

“As obras em exposição estão divididas em três aspectos específicos do mapa de um território urbano vulnerável, cidade humana, prosperidade social, e bem-estar urbano, sacrifício económico dos luandenses, cuja maioria encontra o sustento no mercado informal, as desigualdades sociais e espaciais em Luanda que se tornaram comuns, que são vistas no cotidiano”.

Edla Galiano, expressou ainda que o principal objectivo da exposição dentro das comemorações do “Outubro Urbano em Luanda” é sensibilizar a sociedade e mostrar a realidade vivenciada, as condições das crianças, dos sem-abrigo, e pessoas com mobilidade reduzida, o estado deficitário das condições físicas e estruturais dos bens e serviços, transporte público, habitação e saneamento básico, e promover o diálogo sobre as desigualdades e ao mesmo tempo valorizar o estilo fotográfico que é a Street photography.

“A exposição leva-nos a perfurar as nossas bolhas de privilégios e, ver, de facto, as pessoas e os cenários vulneráveis”, diz, acrescentando que, “Pathos” é um apelo a nossa empatia, que se pretende demonstrar a necessidade de se criarem iniciativas sobre mobilidades urbanas, políticas sociais, empreendedorismo e educação de qualidade”, enfatizou.