Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Artistas plásticos com deficiência defendem inclusão social através das artes

“A deficiência não é uma doença, é um estado que se tem e que deve ser aceite. “A sociedade também deve aceitar a nossa forma de ser e respeitar”. exposição colectiva “Arte-Superação” dos artistas com necessidades especiais, Eliart, Vopsi Moma, Yákala e Polas estará patente até ao dia 26 deste mês, na Galeria Tamar Golan da Fundação Arte e Cultura, na Ilha do Cabo, em Luanda.

Luanda /
15 Ago 2022 / 09:45 H.

Os artistas expositores defendem que a inclusão social não é apenas a realização de actividades colectivas especiais, mas sim levar os artistas em grandes actividades culturais, com concertos e exposições.

Os artistas apresentarão um discurso onde a luta contra o preconceito, superação e a auto-estima estiveram no centro dos pronunciamentos. Em entrevista ao Jornal Mercado, Lino Campos conhecido pelo nome artístico Yákala, responsável pelo projecto “Arte-Superação”, diz que tudo começou a pensar nos outros artistas que, independentemente, da deficiência também são felizes.

Descobriu esse lado em comum entre os outros artistas, que a arte “trás perspectiva diferente” - um olhar para vida de modo positivo. Daí a Arte-Superação encarar os desafios que surgem.

“Depois da minha primeira exposição, apresentei o projecto aos responsáveis da Galeria Jardel, Alzira, Sele e gostaram. Foi aprovado e seguimos em frente e foram feitos todos os desenhos do projecto, depois começamos a trabalhar na selecção dos artistas e como seria todo o projecto”.

A Arte-Superação é um projecto artístico que reúne artistas com deficiência física que enfrenta preconceitos e discriminação.

“O nosso grande objectivo é incentivar a inclusão social e dar a conhecer o poder que a arte tem sobre a mente das pessoas, mostrar a auto-estima apesar das suas condições físicas, também é uma das iniciativas da Tamar Golan da Fundação Arte e Cultura”, diz Lino Campos.

De acordo com Lino Campos, a “Arte-Superação” traduz a maneira de superar os mais diferentes desafios da vida por meio da arte. “É arte que nos ajuda a superar, não é uma técnica de superação, mas é ela que nos ajuda a olhar a vida numa outra perspectiva”.

Para a única participante femenino do projecto, Eliana Calei, que sofre de deficiência mostra grande superação diante dos desafios da vida e por meio da arte enfrentou dificuldades e também a família foi uma das grandes influências.

“Todos os dias nós devemos nos superar, mostrar nas pessoas que somos capazes, isso é uma grande conquista que uma pessoa com deficiência pode ter é a auto-aceitação da sua limitação. Não deve criar barreiras, deve mostrar que apesar da deficiência, eu posso fazer coisas que uma pessoa sem deficiência faz ”, afirmou Eliana Calei.

“A deficiência não é uma doença, é um estado que se tem e que deve ser aceite. “A sociedade também deve aceitar a nossa forma de ser e respeitar”, diz Lino Campos.

Um dos objectivos do projecto é a pessoa com deficiência sair da zona de conforto, pois não precisa esconder-se da sua condição física.

“A ideia é mostrar às pessoas com deficiência que não se limitem. É preciso sair da zona de conforto, para se ir a busca dos sonhos. Só assim se será uma grande pessoa”, sustentou Paulo António (Polas).

Este pensamento também é partilhado por Alberto Moma (de nome artístico Yopsi Moma o Picasso angolano) que no dia-a-dia procura lutar pela inclusão social da pessoa com necessidades especiais. “O objectivo é ganhar a auto-estima e ser um exemplo para a sociedade”, referiu.

Para Xavier Narciso, director para área Social e Curador da Galeria Tamar, a Fundação tem como objectivo fundamental, trabalhar com crianças, jovens que vivem em situações de vulnerabilidade e diante deste cenário a fundação tem vários projectos de intervenção e de inclusão social em todas as vertentes.

Tem sido como um núcleo, um trampolim, para dar visibilidade aos artistas que de alguma forma encontram alguma dificuldade para mostrar os seus trabalhos. A Galeria Tamar tem esse pendor, começando com artistas emergentes nessa vertente”, revelou Xavier Narciso.

Temas