Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Artistas plásticos angolanos criam projecto “Almas Misturadas”

“Almas Misturadas” trazem várias modalidades artísticas, desde as técnicas mistas, as máscaras africanas, simbologia africana, expressionismo e cúbicos.

Luanda /
29 Ago 2022 / 15:30 H.

Os três artistas plásticos angolanos amigos de nomes artísticos, Dom4, Ramos Artes e Ima Chitanga juntaram-se para o projecto “Almas Misturadas”, uma exposição que conta história de vida, emoções e sentimentos em forma de arte.

Em entrevista ao jornal Mercado, Adilson José da Costa, conhecido pelo nome artístico “Dom4”, responsável pelo projecto “Almas Misturadas” diz que a ideia da criação da arte surgiu das criações de forma espontânea e liberal, pois o tema em questão nos dá a liberdade de criar sem limitações específicas, enquadrar na profundidade as nossas almas que vão se reflectindo dentro da construção das nossas poéticas pitorescas.

Segundo Dom4, o que motivou a escolha do nome da exposição e da arte “Almas Misturadas”, nasceu da necessidade da união de três artistas plásticos que reuniram os pensamentos e sentimentos em forma de arte.

Dom4 explica também que para eles, o objectivo do projecto é levar aos observadores o trabalho artístico, o que vai retractar “um pedaço do nosso ser, desde as nossas emoções, sentimentos e pensamentos, pois não existem objectivos maiores se não transmitir a arte para “almas sensíveis”.

Almas Misturadas vai tratar de diferentes abordagens, desde lutas interpessoais, questões de espiritualidade, fome e sede dos artistas plásticos em prosperar, lamentações, frustrações e superações no mundo da arte e a “nossa forma de olharmos para o Mundo.

Para o artista, o mais importante é levar ao palco o que têm de melhor, pois o trabalho artístico é árduo e desafiante, pois cada trabalho é um trabalho.

Diz ainda que não é fácil ser artista no país, pois vivem exclusivamente da arte. “É uma luta constante de fé e persistência, porque poucos conseguem construir uma trajectória profissional com excelência face aos muitos altos e baixos”, referiu.

Almas Misturadas trazem várias modalidades artísticas, desde as técnicas mistas, as máscaras africanas, simbologia africana, expressionismo e cúbicos, assegurou.

Conta que para exposição Almas Misturadas, as perspectivas são muito grandes pelo facto de estar a desenvolver o projecto em causa, quase dois anos de atelier com trabalho “intenso e misto de sentimentos e pensamentos”.

“São as nossas vidas retratadas em forma de obras de arte, logo as nossas almas se misturam em busca de superar as expectativas”, contou.

No entanto, o nosso entrevistado almeja levar a arte para o mundo inteiro, pois para ele, a arte não tem fronteiras, precisa melhorar significativamente as pesquisas sobre hábitos e costumes das tradições africanas.

Para tal, o grupo pretende buscar conhecimento para mais desenvoltura na construção da vida artística.

Refira-se que, Dom4 tem várias obras no País e no exterior espalhadas em várias instituições. Já participou da exposição Narrativa Pandémica II, Galeria de Arte Suzane Kochhann, Exposições Virtuais na Argentina, no Brasil, Dinamarca, Portugal e Índia.

“Participei na revista de artes no Brasil-ARTEXPO MAGAZINE”, recordou.