O icónico Tintim faz 90 anos. E inspirou Elon Musk

É o repórter mais famoso da banda desenhada, uma criação de Hergé que nasceu a 10 de Janeiro de 1929. E, para que conste, o seu foguetão para a Lua foi uma inspiração para o ceo da Tesla. Voilá!

EUA /
10 Jan 2019 / 15:22 H.

Com uma poupa no cabelo e o seu inseparável Milu, um pertinente fox terrier branco, Tintim é-nos apresentado como um jovem jornalista de 22 anos, do Petit Vingtième, enviado à antiga União Soviética, naquela que foi a sua primeira aventura publicada no suplemento juvenil Le Petit Vingtième, do jornal belga Le Vingtième Siècle. Isto tudo há nove décadas!

Criado pelo saudoso George Remi, sob o pseudónimo de Hergé, ‘As aventuras do Tintim’ ganharam projecção mundial e as suas viagens cresceram do Tibete à...Lua, prendendo pequenos e graúdos com a sua coragem, com a sua petulância, com a sua alma de repórter.

Mas também com o seu design, assumido publicamente por Elon Musk no seu Twitter: “Adoro o design do foguetão de Tintim, pelo que, de certa forma, foi no que me inspirei. Em caso de dúvida, escolha Tintim.” Foi desta forma que o empresário Elon Musk confirmou as suspeitas de muitos seguidores no Twitter que repararam na coincidência de o próximo foguetão da SpaceX ter uma forma semelhante ao desenho de Hergé para a aventura lunar de Tintim.

Mas a vida do repórter mais famoso da BD não se fica por aqui. Em 1991 passa para os ecrãs, numa série de inquestionável sucesso com 100 episódios recheados de aventuras e que agora podem ser vistos nalguns países via Netflix. No grande ecrã, a primeira longa-metragem surge em 1947, “Le Crabe aux Pinces d’Or”. Seguem-se mais duas até que Steven Spielberg resolveu transformar o seu sonho em realidade e produzir o primeiro grande filme do personagem belga, cuja sequela está prevista para 2021.

Mas 2019 vai ser o ano das grandes comemorações que já se inauguraram com uma app em versão inglês, francês e espanhol das publicações de um Tintim rendido às novas tecnologias.