Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Intercâmbio cultural traz René Tavares à Angola

“Migrações e Coisas, Retalhos de uma História Só” estará em exposição,a partir de sábado na galeria do Banco Económico.

Luanda /
24 Mar 2020 / 10:35 H.

A Galeria Banco Económico recebe no próximo sábado (27 de Março), a primeira exposição individual em Angola de René Tavares com o tema “Migrações e Coisas, Retalhos de uma História Só”.

A pintura do artista, embora revele um interesse pelo quotidiano são-tomense, como a exposição “As Lavadeiras”com o artista plástico Olavo Amado no Café Companhia em São Tomé, em Setembro de 2010, demonstra um interesse pela história política e pelas raízes culturais de São Tomé e Príncipe.

Filho de José Luís Ferreira Tavares e de Fernanda da Cruz Silva, René da Cruz Tavares nasceu em São Tomé e Príncipe no dia 4 de Novembro de 1983. Formado naEscola de Belas Artes de Dakar, Senegal, participou em diversos workshops e no projecto do curso de fotografia ARC / Rennes em São Tomé e Príncipe, ganhou em 2009 uma bolsa para desenvolver as suas pesquisas plásticas em Rennes, França.

Os seus trabalhos têm vindo a assumir uma componente política e cultural, através da qual o artista chama a atenção para a realidade quotidiana, sobretudo africana e particularmente do seu país.

Imparcialmente intervém no desenvolvimento da mentalidade sociopolítica, não por via de uma vontade de discurso político, mas porque a política inscreve-se no regime da realidade quotidiana. Suas obras já estiveram expostas em espaços e eventos como: Afro Our Urban (EUA), El Puevo Resistente (Venezuela), Theatre National le Chaillot (France), ArtVisie Gallery (Holanda), Museu da Cidade (Portugal), Venice Architecture Biennale (Itália), Bienais de Arte de São Tomé e Príncipe, entre outros.

Durante a sua carreira, René Tavares participou em várias exposições das quais destacamos: BIS VII Bienal de Arte e Cultura de São Tomé e Príncipe, 2014, Private lives 2013, Centro Cultural de Cascais, Portugal ,2013, Africando, Galeria Graça Brandão, Lisboa, Portugal, 2012, Itinerância da VI Bienal de São Tomé, Museu da cidade, Lisboa, Portugal, 2012 , VI Bienal de Arte de São Tomé e Príncipe, São Tomé,2010, Série (In) Acabado, Galeria Bozart, Lisboa – Portugal, 2010, Idioma Comum,Galeria Fundação PLMJ – Lisboa – Portugal, 2010 Summer Calling, Galeria 3+1 Arte Contemporânea, Lisboa, 2010 Re-Act, Galeria Arts-Lab, Porto, Portugal, 2009,Meeting São Tomé em Amsterdão, Clifford Chance, Holanda, 2008 , África Now,WorldBank, Washington, EUA, 2008 United we Stand, Galeire Hores, Bruxelas,Bélgica, 2008 - V Bienal de Arte e Cultura de São Tomé e Príncipe, São Tomé e Príncipe, 2007, Festi’phonie, L’art de la Francophonie, FIAP Jean Monnet, Paris, France,2005, As portas do mundo, Palácio D. Manuel II, Évora, Portugal. René Tavares frequenta, actualmente, o Mestrado em Ciências de Arte e do Património na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa. René Tavares vive e trabalha nas cidades de São Tomé e Príncipe, Lisboa e Luanda.

O Artista é caracterizado por um percurso que teve início ao abordar a questão da “identidade crioula”, resultado de dinâmicas migratórias que se transformam invariavelmente em algo novo e vivo. É exemplo disso o Tchiloli, espetáculo tradicional são tomense muito investigado, retratado e reinventado por René Tavares nas suas obras.