Mercado de valores
Tempo - Tutiempo.net

Brunch With...Adilson Dulo

Um empreendedor que acredita no poder das ideias, fala da sua trajectória de vida e a vontade que tem para abraçar novos desafios com a sua empresa.

Luanda /
09 Dez 2019 / 11:07 H.

O convidado para o brunch desta edição é o carismático fundador e CEO da agência desportiva Shaint Sports, que desde muito cedo mostrou-se inclinado para prática do basquetebol. Jovem e sonhador, nasceu em Luanda, concretamente no Cazenga, em 14 de Setembro, numa família humilde e acolhedora.

Formado em Engenharia de Construção Civil, para além de trabalhar para o Grupo Boa Vida como supervisor de dimensões e orçamentos, tem desenvolvido actividades empresariais como representante desportivo de atletas e treinadores na área do basquetebol através da sua agência. “É nosso foco aconselhar, assistir e representar os atletas. Para isso é preciso ter vontade que chegar ao entusiasmo, persistência capaz de vencer montanhas e autoconfiança para acreditar que será bem-sucedido”, explica o responsável que almeja ver a empresa reconhecida internacionalmente e em termos pessoais o seu nome a servir de exemplo e contributo para o desenvolvimento e progresso do desporto nacional.

Na dimensão profissional, Dulo afirma ser o momento mais alto da sua carreira quando fez a apresentação da Shaint Sports e do Site em conferência de imprensa do Pura Star Game, organizado pela Refriango, ao nível de altas figuras de basquetebol. Encontra a sua inspiração no livro de autoajuda de Steve Scott “Mil e uma forma de enriquecer”.

A infância e parte da sua juventude foi vivida no Hoji-ya-Henda, Cazenga. Diz ter crescido a moda antiga numa família onde viviam os tios, os irmãos e sempre procurou ter o contacto com pessoas adultas. “Era muito bonito vivermos em família, nunca nos sentíamos só”, lembrou. Mas também lembrou das brincadeiras que fazia naquela época com os amigos e diz também ter sido uma criança muito focada, pois já sabia o que queria. “Eu brinquei um pouco de tudo que existia na minha infância, o basquetebol era a minha onda, já trenei o judo e sempre fui o miúdo mais evitado pelos irmãos”.

Os sonhos e trajecto académico

Como outras crianças, Adilson sonhava ser médico por influência da sua mãe enfermeira, mas esse sonho foi por água abaixo. “Uma das vezes acompanhei a operação cirúrgica de um paciente que tinha a língua desproporcional e quando vi aquilo, senti que não estava preparado para tal”, recorda fazendo menção de um outro sonho a nível académico. “Depois fiquei com sonho de fazer Engenharia Informática para ter acesso ao computador, mas esse sonho também morreu porque, quando eu vou para fazer o médio no Alda Lara, a minha nota do ensino de base não me permitia ter acesso a este curso e, por conseguinte, encontrei alternativa na Construção Civil”, confessa, acreditando que está área se reflete naquilo que faz actualmente.

Começou os estudos na escola 230, Cazenga, depois seguiu no complexo escolar do Cazenga e termina o ensino de base no Óscar Ribas. Pediu aos seus pais para ir fazer o médio no Alda Lara, no curso que escolheu por opção. Após esta pequena trajectória, em 2010 foi para a Universidade Jean Piaget dar continuidade do curso de Engenharia de Construção Civil.

Conta que foi difícil, no princípio, para se enquadrar no ensino por causa das coisas novas que encontrou, mas que muito cedo deu a volta e conseguiu melhorá-las. “Linceciei-me na área de Estradas, porque a minha monografia teve como tema ‘Dimensionamento de um pavimento rodoviário flexível’ os chamados ‘asfaltos”, conta. Como pretendia preparar-se para os embates do mercado de trabalho, Adilson procurou fazer uma pós-graduação em agregação pedagógica, o que lhe permitiu mais tarde dar aulas, assim como o curso de medição de orçamento de obras e o de gestão de empresas. “Sinto-me feliz porque o Know-how que acarreto hoje é fruto da minha formação”, refere.

Primeiro emprego e nascimento da Shaint Sports

No terceiro ano da universidade passa a colaborar no projecto de escritório do seu antigo professor, deu sequência na empresa de consultoria de projecto na Jasso. Teve, mais uma vez, a passagem pela docência, leccionando as cadeiras de Materiais de Construção e Essência dos Materiais, na Universidade Metropolitana de Angola, durante algum tempo. Em seguida foi convidado a fazer parte do Grupo Boa Vida como supervisor de dimensões e orçamentos. “Em 2016, o meu ex-colega de trabalho constantou as minhas valências na área de dimensões e orçamentos, alertou-me das vagas no Grupo para supervisor, não hesitei e fui lá ter”, explicou.

“A Shaint Sport surge pelo facto de que muitas vezes se constatar a falta de acompanhamento dos atletas durante a sua carreira”, explica o fundador que entendeu ajudar o desempenho de suas carreiras e preparação das suas pós-carreiras, assim como falta de conhecimento relacionados com os regulamentos que regem a modalidade bem como à promoção e divulgação da sua imagem.

“O nome da firma surge pela junção dos nomes dos meus dois filhos: Shaidy e Briliant = Shaint. O primeiro clube que tive a oportunidade de ligar foi o 1º de Agosto, onde apresentei os atletas na equipa e assinei o primeiro e outros contratos”, esclareceu.

Encara o sucesso profissional como sendo algo que nasce de nós e procuramos torná-lo exequível. Finaliza aconselhando os novos gestores a aceitarem os riscos dos projectos que irão implementar e, sobretudo, terem, a prior, um sonho e dar o máximo para o materializar.